União com o PT só no segundo turno

Coluna Fogo Cruzado – 18 de junho de 2019

Do deputado Lucas Ramos, vice-líder da bancada do governo na Assembleia Legislativa e pré-candidato do PSB à prefeitura de Petrolina,no próximo ano, a coluna recebeu ontem o seguinte comunicado: “Caro Inaldo, com relação ao seu comentário sobre o cenário político em Petrolina visando às eleições do ano que vem, reiteramos que o PSB decidiu apresentar candidatura própria e já colocou o nosso nome, endossado inclusive pelo presidente da legenda no município, o deputado federal Gonzaga Patriota. Desde o ano 2000, nós, socialistas, apresentamos alternativas para os petrolinenses e não seria diferente em 2020, melhor momento do PSB, partido que teve 70 prefeitos eleitos nas últimas eleições municipais e reelegeu o governador Paulo Câmara em 2018, no primeiro turno, tendo sido, inclusive, majoritário na principal cidade do sertão. Respeitamos e entendemos serem legítimas todas as candidaturas, ainda que apresentadas por partidos que compõem a Frente Popular de Pernambuco como o PSD, com o ex-prefeito Júlio Lossio e o PT, que discute os nomes do ex-deputado Odacy Amorim e da vereadora Cristina Costa. Cenário inédito, com possibilidade de ser definido em dois turnos, o que permitirá ao eleitor de Petrolina a oportunidade de conhecer melhor os programas e promessas apresentados pelos postulantes. No segundo turno, as forças políticas de oposição ao prefeito Miguel Coelho podem (e devem) estar unidas”.

Palmares I

Após passar quatro anos em Palmares comandando o policiamento da Mata Sul, o tenente-coronel Sousa Filho passou para a reserva e imediatamente recebeu convite para entrar na política. O bispo da Diocese local, Dom Henrique Soares, é um dos que veem com bons olhos sua candidatura a prefeito, já que o atual, Altair Júnior (MDB), está com a imagem bastante desgastada.

Palmares II

Sousa Filho está consultando a população sobre a possibilidade de se candidatar. Ele já conversou com empresários, políticos, comerciantes, professores, estudantes, etc. E a recepção, garante, tem sido a melhor possível. Vários partidos lhe ofereceram legenda mas ele fez opção pelo PSD que tem como principal líder em Pernambuco o deputado federal André de Paula.

Homem de caráter

Joaquim Levy estava trabalhando no exterior quando recebeu convite de Paulo Guedes para presidir o BNDES. Sacrificou-se, pessoalmente, para servir ao Brasil, mas assim não entendeu Jair Bolsonaro, que o demitiu no último sábado da forma mais deselegante possível: “Eu tô por aqui (com a mão no pescoço) com o Levy”. Que, sendo homem de caráter, na mesma hora entregou o cargo. 

Palpite infeliz

O ex-presidente Lula foi bastante infeliz em sua última entrevista à Rede TV ao duvidar da veracidade da facada dada por Adélio Bispo no então candidato a presidente Jair Bolsonaro. O petista agrediu, desnecessariamente, os médicos que atenderam o candidato primeiro em Juiz de Fora (MG) e depois em SP. E, pela ousadia, foi chamado de “canalha” pelo general Augusto Heleno.

Ajuda compulsória

Ministro de estado que desembarca em Petrolina costuma ser bem tratado pelos “Coelho” mas não há perigo de não deixar algum recurso para a construção de obras no município. Foi o que ocorreu ontem com Abraham Weintraub (Educação). Que, a pedido do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), liberou R$ 5 milhões para a construção de uma escola climatização de outras.

Agora é tucano

Desde que estreou na política de Paulista, o ex-vice-prefeito Nena Cabral já passou por uns 10 partidos mas não se agradou de nenhum deles. Agora, aproveitando a eleição de Bruno Araújo para a presidência nacional do PSDB, resolveu virar tucano. Pretende formar uma grande frente de oposição no município para enfrentar o candidato que for apoiado pelo prefeito Júnior Matuto (PSB).

Pressão da Amupe

Já que o presidente da Amupe, José Patriota (PSB), é contra a exclusão de estados e município da reforma previdenciária, quem sabe não é chegada a hora de ela reunir os seus prefeitos para pressionar o governador Paulo Câmara a dar apoio ao projeto. Até agora, apenas dois governadores do Nordeste deram apoio envergonhado à reforma: Camilo Santana (CE) e Wellington Dias (PI).