Sem direito sequer de sepultar o filho

Coluna Fogo Cruzado – 26 de junho de 2019

Morreu ontem no Recife aos 105 anos de idade um dos maiores símbolos de bravura e persistência no combate ao regime militar que se instalou entre nós em 64: Elzita Santa Cruz Oliveira. Ela teve a infelicidade de ver o filho, Fernando, sequestrado e morto no Rio de Janeiro, cujo nome ainda figura na relação dos “desaparecidos políticos”, dado que seu corpo jamais foi devolvido à família para que tivesse um enterro digno. Dona Elzita viveu uma enormidade e enquanto teve lucidez e saúde jamais abdicou da luta para localizar o paradeiro do filho, que era militante de uma organização clandestina quando foi capturado pela repressão em dezembro de 1973. Uma suposta pista sobre o paradeiro dele foi contada pelo delegado capixaba Carlos Guerra no livro “Memórias de uma guerra suja”, porém nada do que ele relatou foi comprovado pela Comissão Nacional da Verdade. O delegado afirma que Fernando Santa Cruz Oliveira foi assassinado na “Casa da morte”, em Petrópolis, um dos centros de tortura do regime militar, e depois incinerado no forno da Usina Cambahyba, pertencente ao ex-vice-governador do Rio, Heli Ribeiro Gomes, no município de Campos dos Goytacases. Ainda que essa história macabra fosse verdadeira, poderia ter dado um alento à genitora do estudante, fazendo com que ela morresse em paz por ter descoberto, finalmente, o paradeiro do corpo do filho. Mas nem esse direito a ditadura lhe deu.

Corpos incinerados

Depois de participar da “guerra suja” de 64, assassinando em várias partes do Brasil adversários do golpe militar, o ex-delegado Carlos Guerra deu a relação dos presos políticos cujos corpos teriam sido incinerados numa Usina de Campos: Fernando Santa Cruz, David Capistrano, Joaquim Pires Cerveira e Luiz Ignácio Maranhão Filho. Os dois primeiros eram pernambucanos. 

Manaus foi a inspiração

Inspirado na Zona Franca de Manaus, o deputado Fernando Monteiro (PP) apresentou um projeto de lei na Câmara Federal pela criação da Zona Franca do Sertão do São Francisco. Antes, o deputado Gonzaga Patriota (PSB) apresentou um projeto de conteúdo mais abrangente: pela criação de uma Zona Franca no Semiárido Nordestino, cuja sede ficaria em Cajazeiras (PB).

Aperto fiscal

Taí duas notícias que têm a ver com a situação fiscal de Pernambuco, caso os estados e municípios sejam excluídos da reforma previdenciária: para aderir ao regime de recuperação do governo federal, o Rio de Janeiro precisa economizar R$ 93 bilhões em seis anos e, Minas Gerais, R$ 130 bilhões. Nem privatizando suas empresas de energia e saneamento irão conseguir esse dinheiro. 

Pela candidatura única

O PSB terá candidato próprio a prefeito em pelo menos 10 capitais, com o que espera cacifar-se para as eleições de 2022. Em SP, o ex-governador Márcio França só não será candidato se não quiser. Ele derrotou Doria na capital (2018) e tem a total solidariedade dos colegas de Pernambuco. O PT, com medo de José Luiz Datena, já propôs ao PSB, PDT, PSOL e PCdoB um candidato único.

A volta de Yves

Após perder a disputa em 2016 pela prefeitura de Igarassu, o ex-prefeito Yves Ribeiro deverá voltar para Paulista, cidade que ele administrou duas vezes. Só não será candidato pelo PSB porque o partido tem outra alternativa. Ribeiro está com o nome relativamente cansado, mas ainda é o que pode reunir mais forças para enfrentar o candidato do prefeito Júnior Matuto (PSB).

No centro do poder

O senador Fernando Bezerra (MDB-PE) tem participado de todas as reuniões políticas com o presidente Bolsonaro quando a pauta envolve matérias que estão tramitando no Congresso. O presidente parece satisfeito com a jovem “raposa” pernambucana e deve ter-se arrependido por não ter escolhido um líder na Câmara com o mesmo talento. O atual, Major Vitor Hugo (PSL-GO), é fraco.

Quórum baixo

Ainda era pequena, ontem, a presença de deputados nordestinos no plenário da Câmara Federal porque as festas juninas na região ainda irão se prolongar até o próximo dia 30. Gravatá e Petrolina já encerraram os seus festejos, mas eles ainda continuam no Recife, Arcoverde, Caruaru e Carpina. Dia 5/7 próximo, o deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos) irá ao São Pedro de Tuparetama.