Novo líder da bancada do PT subestima a força de Bolsonaro

O PT continua de sapato alto, apesar da prisão dos ex-ministros José Dirceu e Antonio Palocci e da condenação do ex-presidente Lula a 9 anos e 6 meses de prisão.

O novo líder do partido na Câmara Federal, deputado Paulo Pimenta (RS), disse nesta quarta-feira (10) que o ex-presidente Lula ainda não tem adversário para a eleição presidencial de outubro próximo e que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), segundo colocado nas pesquisas de opinião, não tem força eleitoral para chegar ao segundo turno.

A seu ver, Bolsonaro tende a esvaziar-se na medida em que for chamado para participar de debates com os outros candidatos, tal qual ocorreu com Marina Silva na campanha política de 2014.

Pois, além de não ter “conteúdo político” e nem estrutura partidária, terá um irrisório tempo de televisão porque o PSL – partido a que pretende filiar-se – tem apenas dois representantes na Câmara Federal, sendo um deles o pernambucano Luciano Bivar, presidente nacional da legenda.

Ele disse também que o candidato mais forte da oposição para medir forças com Lula seria o senador Aécio Neves, que perdeu para Dilma em 2014 mas saiu das urnas com mais de 50 milhões de votos.
Garantiu, por fim, que, “impugnado ou não”, o nome do ex-presidente estará na urna eletrônica porque eleição sem ele seria uma fraude. “E, com ele eleito, ninguém vai lhe tirar o cargo porque a pressão internacional será fortíssima”.