Não se acusa Bolsonaro de estelionato eleitoral

Coluna Fogo Cruzado – 9 de maio de 2019

Afirma com razão o deputado André de Paula (PSD) que o presidente Bolsonaro pode ser acusado de tudo, menos de estelionato eleitoral. Prometeu durante a campanha que flexibilizaria o uso de armas para defesa pessoal e acaba de cumprir o prometido. Assinou um decreto na última terça-feira liberando o porte de arma para 20 categorias profissionais, entre elas proprietários rurais, caminhoneiros, agentes de trânsito, instrutor de tiro, oficiais de justiça, funcionários de empresas de segurança privada e políticos com mandato. A alegação do presidente é que a maioria dos brasileiros posicionou-se nessa direção quando da realização do plebiscito do desarmamento em 2005. Portanto, nada fez além de atender ao desejo explícito da maioria da população. Se por um lado isso é real, é igualmente verdadeiro que o governo nada fez até agora para aumentar o nível de emprego no país, donde se conclui que o Brasil poderia estar numa situação menos pior se todas as energias gastas pelo presidente nos últimos quatro meses para falar sobre armas, tiros, Olavo de Carvalho e a “revolução” de 64 tivessem sido canalizadas em favor do crescimento da economia e da redução da taxa de desemprego.

Para ouvir os dois lados

Próxima segunda, às 9h, haverá uma audiência pública na Assembleia Legislativa sobre a reforma previdenciária. Falarão representantes de entidades a favor e contra o projeto. O deputado Sílvio Costa Filho (PRB) fará a defesa da aprovação e o deputado Cabral (PSB) defenderá a rejeição. O ministro Paulo Guedes ficou de mandar representante.    

Visitas às barragens

A comissão de vistoria de barragens da Assembleia Legislativa irá na próxima semana a Serra Talhada inspecionar a barragem de Serrinha e o açude Jazigo. O convite à comissão foi feito pelo deputado Fabrízio Ferraz (PHS). Serrinha, inaugurada pelo presidente FHC há 20 anos, foi a última barragem feita pelo Dnocs em Pernambuco.

Sob nova direção

O PV de Pernambuco elegeu um novo presidente. É o engenheiro Jorge Carrero, vice-prefeito de Paulista e pré-candidato à sucessão do prefeito Júnior Matuto (PSB). Natural de Terra Nova, Carrero foi presidente da Cehab no governo Eduardo Campos e presidiu a URB-Recife no governo João Paulo. O que o atrapalha na política é a inconstância partidária. Troca de partido como troca de roupa. Isso não é bom para um homem público.

Marco do saneamento

Dirigida pelo presidente da Compesa, Roberto Tavares, a Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) reprovou o parecer do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre a Medida Provisória que altera o Marco Legal do Saneamento, editada pelo presidente Michel Temer. Aprovado por 15×10, o parecer proíbe municípios de celebrarem contratos com empresas estatais.

Caindo na real

Governadores do Nordeste estão aos poucos se convencendo da necessidade de aprovação da reforma da previdência. Foi esta a impressão que deixaram ontem durante encontro com Bolsonaro na residência oficial do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Eles chegaram à conclusão, embora tardiamente, que sem a aprovação dessa reforma o sistema previdenciário de seus estados irá para o espaço.

Parabéns pra você  

Os 168 anos de emancipação política de Serra Talhada foram registrados na Câmara Federal pelos deputados Sebastião Oliveira (PR) e Gonzaga Patriota (PSB). Este último destacou que o município é a terra de Virgulino Ferreira da Silva, o “Lampião”, do ex-governador Agamenon Magalhães e do ex-deputado Inocêncio Oliveira (PR).

Prêmio de valorização 

Na sessão de ontem do TCE, a procuradora geral do Ministério Público de Contas, Germana Laureano, prestou uma homenagem à procuradora do Ministério Público Federal, Sílvia Regina, por ter sido um dos vencedores do “VII Prêmio República de Valorização” por sua atuação no “Caso Hemobrás – Combate à corrupção e tratamento de hemofílicos no Brasil”.