Na luta pelo segundo turno, Ciro parte para cima de Haddad

O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, que está brigando por uma vaga no segundo turno com Fernando Haddad (PT), criticou o petista nesta quinta-feira (13) dizendo que ele não tem capacidade política para derrotar Jair Bolsonaro (PSL).

“O atributo do Haddad, presidente indicado por Lula, isso vai dar merda, não tenho a menor dúvida. Pode dar certo, eleitoralmente, mas não vai dar certo”, disse o pedetista.

Segundo ele, o PT já sabia que Lula não poderia ser candidato, mas, ainda assim, manteve a candidatura do ex-presidente até o último minuto possível antes de oficializar a de Haddad.

“Agitaram essa candidatura fraudulenta e, agora, querem incitar a população a votar numa pessoa que não tem conhecimento do Brasil. Haddad é um querido amigo, uma excelente pessoa, mas ele não conhece o Brasil, ele não tem a garra necessária nesse momento difícil da vida brasileira em que estamos às vésperas de um fenômeno protofascista (Bolsonaro), uma ameaça real ao Brasil, e a gente não pode chamar a nação para dançar na beira do abismo”, disse Ciro Gomes.

Disse também que “Bolsonaro é o cabra marcado para perder a eleição no segundo turno, se a gente não cometer nenhuma imprudência porque a rejeição dele é a maior de todas”, disse o presidenciável do PDT.

Lembrou que Haddad perdeu a reeleição à Prefeitura de São Paulo “para um farsante como o João Dória” e, agora, na campanha presidencial, aceitou alianças com o “golpista” Eunício Oliveira (MDB), no Ceará, e com Renan Calheiros Filho (MDB), em Alagoas.

“Vamos fazer essa brincadeira com o Brasil? Mas se Haddad for para o segundo turno, eu voto nele, como votei nos últimos 16 anos”, garantiu.