Mais um ministro desembarca em Petrolina nesta segunda-feira

Coluna Fogo Cruzado – 15 de abril de 2019

  1. A ministra da Agricultura, deputada Tereza Cristina, desembarca em Petrolina nesta segunda-feira (15) para uma visita oficial de dois dias.
  2. Ela será recebida pelo prefeito Miguel Coelho (PSB), o deputado estadual Antônio Coelho (DEM), o deputado federal Fernando Filho (DEM) e o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB).
  3. A visita deve-se ao prestígio do senador Fernando Bezerra, líder do governo Bolsonaro no Senado.
  4. Petrolina será a primeira cidade pernambucana a receber a visita da ministra, que é deputada federal pelo Mato Grosso do Sul.
  5. Ela já pertenceu ao PSB, cuja bancada liderou após venceu numa disputa interna o deputado pernambucano Tadeu Alencar. Depois, notou que nada tinha a ver com o PSB e se abrigou no DEM (que guinada!).
  6. Foi também Fernando Bezerra quem trouxe a Petrolina na última quinta-feira (11) o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.
  7. Nenhum ministro desembarca em Petrolina com as mãos vazias. Eles comem bem na casa dos “Coelho”, mas, em compensação, têm que anunciar a liberação de recursos para o município.
  8. A ministra terá uma série de encontros com produtores rurais da região, dado que não conhece absolutamente nada sobre nossa agricultura de irrigação e de exportação. Conhece bem o agronegócio que é praticado no Centro Oeste.
  9. Ela desembarca às 8h30 no aeroporto de Petrolina e de lá segue direto para uma reunião com o Sindicato Patronal Rural de Petrolina, onde terá encontro com lideranças ligadas à produção de cana-de-açúcar, frutas e ainda da avicultura e pecuária.
  10. À tarde, a ministra cumpre agenda no vizinho município de Juazeiro (BA) para visitar o Distrito de Irrigação de Maniçoba e uma fazenda de produção de frutas e embalagens.
  11. Às 18h ela terá um encontro com exportadores da região, na Fundação Nilo Coelho, onde ouvirá uma explanação do prefeito e do senador sobre quem era Petrolina e que é hoje depois dos projetos de irrigação.

É isso aí.

SEGURANÇA HÍDRICA

Tereza Cristina (Agricultura) é o segundo ministro a visitar Petrolina desde o início do governo do presidente Jair Bolsonaro. Na semana passada quem esteve lá foi o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, para lançar o Plano Nacional de Segurança Hídrica. Antes, passou por lá, num dia de sábado, o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, “arrastado” pelo senador Fernando Bezerra.

AQUI TEM MAIS FUTURO

Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional) marcou a viagem para Petrolina no mesmo dia em que o presidente Bolsonaro reuniu sua tropa, em Brasília, para comemorar os 100 primeiros dias de sua gestão. Canuto achou melhor viajar para o sertão pernambucano, onde comeu bode à vontade oferecido pela família Coelho. Brasília não tem bode que preste.

QUE TEMOS A VER COM ISTO?

Sábado agora, dois dias antes de viajar para Petrolina, a ministra Tereza Cristina (Agricultura) foi recebida pelo presidente Bolsonaro, no Palácio da Alvorada, para tratar da preocupação dos produtores rurais com a “tabela do frete” dos caminhoneiros estabelecida pelo ex-ministro Michel Temer (MDB). Acuado pelos caminhoneiros em 2018, Temer acertou com eles um preço mínimo para o frete, só que isso não é atribuição do governo federal e sim das partes envolvidas. A ministra já defendeu publicamente o fim da “tabela do frete” de produtos transportados nas rodovias e quer o aval de Bolsonaro para resolver de vez essa questão.

NO PEDESTAL DA PÁTRIA

O advogado e ex-vereador de Olinda, Marcelo Santa Cruz, entrou de peito aberto na campanha pelo “Lula livre” e não ta nem aí para o “patrulhamento” do pessoal do outro lado.  Diz ele: “Manifesto preocupação com o estado de saúde e a própria vida do ex-presidente, o mais renomado preso político da atualidade. Não quero ser cúmplice, por omissão, de seu lento e gradual assassinato, e nem vaticinar sua morte. Mas, caso ela venha a ocorrer, o nome dele será colocado no ‘Pedestal da Pátria’ pela democracia  e pela liberdade”

O PODER DA CONVERSA

O ministro da Economia, Paulo Guedes, aprendeu a se relacionar com Bolsonaro, que apesar de não entender patavina de economia, determinou à Petrobrás na última quinta-feira (11) que suspendesse um reajuste no diesel de pouco mais de 5% que havia sido anunciado para o dia seguinte. Guedes soube da determinação do presidente no exterior (EUA) e no primeiro momento ficou desconsertado porque Bolsonaro lhe havia prometido que o comando da economia seria dele, Guedes. Só que, de volta, ao Brasil, o ministro encarou o episódio de outra forma. Ele disse que se Bolsonaro dizer alguma coisa na economia “que não seja razoável”, uma “conversa” com o presidente “conserta tudo”.

PRAZO ESTABELECIDO

Bolsonaro marcou para esta terça-feira (16), no Palácio do Planalto, uma reunião com o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, para tratar do reajuste (5,7%) do diesel. O presidente está com medo de uma segunda greve de caminhoneiros. Mas sua canetada na estatal, determinando a suspensão do reajuste, fez a empresa perder R$ 32 bilhões em valor de mercado.

DE SOCIAL PARA CONSERVADOR

Presidido pelo deputado pernambucano Luciano Bivar, o PSL estuda mudança de nome. Em vez de “Partido Social Liberal”, passaria a chamar-se “Partido Conservador Liberal”. A possível troca já recebeu críticas da deputada Janaína Pascoal (SP), para quem “todos sabem que sou favorável às candidaturas avulsas, mas, por enquanto, a lei exige que eu esteja atrelada a um partido, sob pena de perder o mandato. Pois bem, sendo assim, digo logo que sou contra trocar o nome do PSL para PCL”.

TIROS NÃO ABALAM A IMAGEM

Na semana em que soldados do Exército mataram no RJ, com 80 tiros, o músico Evaldo de Santos Rosa, que estava com a família no carro, desarmado, e não tinha qualquer envolvimento com a criminalidade, saiu da pesquisa do Datafolha atestando que as Forças Armadas são consideradas a instituição mais confiável por parte do povo brasileiro. De acordo com o levantamento, 45% dos entrevistados disseram “confiar muito” no Exército, na Marinha e na Aeronáutica. Seguiram-se a Presidência da República com 29% de índice de confiança, o Ministério Público e o Poder Judiciário (ambos com 25%) e a Imprensa 24% das respostas. Por outro lado, 35% dos entrevistados responderam que confiam pouco nas FA e 18% disseram não confiar. O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, disse que a morte do músico será esclarecida e que, se preciso for, o Exército “cortará na carne” para se ver livre dos marginais fardados.

CABELO, BARBA E BIGODE

Até o final do próximo mês de maio, o governador de SP, João Doria, estará controlando todo o PSDB.  Ele não teve como evitar o nome do sociólogo Fernando Alfredo (próximo ao prefeito Bruno Covas) para presidir o diretório municipal. Mas em compensação, indicou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para presidir o diretório estadual e o ex-deputado Bruno Araújo (PE) para presidir o PSDB nacional. Bruno já preside o diretório de Pernambuco e perdeu a eleição em 2018 por uma das vagas de senador.

PÉ NA ESTRADA

O ex-deputado federal Zeca Cavalcanti (PTB) já começou a se mexer visando às eleições municipais do próximo ano. Ele foi prefeito de Arcoverde em duas ocasiões e vai tentar reconquistá-la em 2020. Até agora é candidato único, pois a prefeita Madalena Brito, que já foi reeleita e está bem avaliada, não definiu ainda o seu candidato. Arcoverde saiu das eleições de 2014 com um deputado federal (o próprio Zeca) e dois estaduais: Júlio Cavalcanti (PTB) e Eduíno Brito (PP). Em 2018 saiu sem nenhum.