José Marcos nega que Inocêncio romperá com a Frente Popular

Em entrevista concedida ao blog agora há pouco, o ex-deputado José Marcos, secretário-geral do PR, negou que o deputado Inocêncio Oliveira esteja preparando o caminho para romper com a Frente Popular.

“Conversei com Inocêncio hoje e a declaração que ouvi dele é que permanece firme e decidido ao lado do governador Eduardo Campos”, afirmou José Marcos.
 
Eis a íntegra de sua entrevista:
 
O PR está arrumando as malas para deixar o governo Eduardo Campos?
 
José Marcos – De forma nenhuma. Somos aliados de primeira hora do governador, quando ele ainda era o terceiro nas pesquisas de opinião, trabalhamos para construir sua vitória e não vamos destruir com os pés aquilo que construímos com as mãos.
 
E por que Inocêncio Oliveira declarou hoje, que, para o PR, o processo eleitoral para senador está “zerado?”
 
José Marcos – Um dos candidatos a senador do nosso partido será o ex-prefeito João Paulo e isso já foi dito publicamente pelo próprio Inocêncio Oliveira. Fazemos parte do governo municipal desde a gestão dele e temos o compromisso de acompanhá-lo se ele for candidato a senador.
 
E o segundo senador do PR quem será? Sérgio Guerra?
 
José Marcos – De maneira nenhuma. Sérgio é nosso amigo, temos com ele uma excelente relação pessoal. Mas, politicamente, estamos hoje em campos opostos. O compromisso do nosso partido é marchar com os candidatos indicados pelo governador Eduardo Campos, apesar de algumas insatisfações nas bases municipais.
 
Que insatisfações seriam essas?
 
José Marcos – Entendo que quando se tem um governo de coalizão, os aliados têm que ser tratados de forma igualitária e isso não aconteceu nas últimas eleições municipais. Em alguns municípios do Sertão, os candidatos a prefeito do PR não tiveram nada e os candidatos do PSB tiveram tudo. Entendo que não deve ser este o tratamento dispensado pelo governador Eduardo Campos aos seus aliados, sobretudo àqueles que o acompanharam desde a primeira hora.
 
Quem seria o segundo senador a ser apoiado pelo PR?
 
José Marcos – É cedo ainda para decidir porque estamos a um ano e três meses da data da eleição. O que posso afirmar, com absoluta certeza, é que não será Sérgio Guerra nem Marco Maciel. Nada contra esses dois ilustres homens públicos, dos quais, aliás, fomos aliados no passado. É que hoje eles estão de um lado e nós estamos de outro.


José Marcos nega que Inocêncio romperá com a Frente Popular

Em entrevista concedida ao blog agora há pouco, o ex-deputado José Marcos, secretário-geral do PR, negou que o deputado Inocêncio Oliveira esteja preparando o caminho para romper com a Frente Popular.
“Conversei com Inocêncio hoje e a declaração que ouvi dele é que permanece firme e decidido ao lado do governador Eduardo Campos”, afirmou José Marcos.
 
Eis a íntegra de sua entrevista:
 
O PR está arrumando as malas para deixar o governo Eduardo Campos?
 
José Marcos – De forma nenhuma. Somos aliados de primeira hora do governador, quando ele ainda era o terceiro nas pesquisas de opinião, trabalhamos para construir sua vitória e não vamos destruir com os pés aquilo que construímos com as mãos.
 
E por que Inocêncio Oliveira declarou hoje, que, para o PR, o processo eleitoral para senador está “zerado?”
 
José Marcos – Um dos candidatos a senador do nosso partido será o ex-prefeito João Paulo e isso já foi dito publicamente pelo próprio Inocêncio Oliveira. Fazemos parte do governo municipal desde a gestão dele e temos o compromisso de acompanhá-lo se ele for candidato a senador.
 
E o segundo senador do PR quem será? Sérgio Guerra?
 
José Marcos – De maneira nenhuma. Sérgio é nosso amigo, temos com ele uma excelente relação pessoal. Mas, politicamente, estamos hoje em campos opostos. O compromisso do nosso partido é marchar com os candidatos indicados pelo governador Eduardo Campos, apesar de algumas insatisfações nas bases municipais.
 
Que insatisfações seriam essas?
 
José Marcos – Entendo que quando se tem um governo de coalizão, os aliados têm que ser tratados de forma igualitária e isso não aconteceu nas últimas eleições municipais. Em alguns municípios do Sertão, os candidatos a prefeito do PR não tiveram nada e os candidatos do PSB tiveram tudo. Entendo que não deve ser este o tratamento dispensado pelo governador Eduardo Campos aos seus aliados, sobretudo àqueles que o acompanharam desde a primeira hora.
 
Quem seria o segundo senador a ser apoiado pelo PR?
 
José Marcos – É cedo ainda para decidir porque estamos a um ano e três meses da data da eleição. O que posso afirmar, com absoluta certeza, é que não será Sérgio Guerra nem Marco Maciel. Nada contra esses dois ilustres homens públicos, dos quais, aliás, fomos aliados no passado. É que hoje eles estão de um lado e nós estamos de outro.