Humberto diz que se o Congresso não rejeitar a reforma previdenciária, a Justiça o fará

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), declarou nesta quarta-feira (27) que se o Congresso Nacional não derrubar o projeto de reforma previdenciária5 proposto pelo presidente Jair Bolsonaro, “o Judiciário é que será o responsável por barrar esta iniciativa”.

“Quem vai ter coragem de votar contra os idosos em extrema pobreza? Quem vai votar contra os trabalhadores do campo? Contra os professores? Contra os policiais de menores salários? Contra os servidores públicos de salários reduzidos, contra os trabalhadores em geral, a quem essa fatura miserável do ajuste está sendo imposta?”, questionou.

Segundo o senador, é uma “barbaridade” propor que o trabalhador só receba a aposentadoria no valor integral depois de 40 anos de contribuição, principalmente num país onde campeia a informalidade pela falta de emprego.

“Será praticamente impossível alguém cumprir esses requisitos. A consequência será o aumento do fosso social, jogando no abismo da miséria milhões de seres humanos, em sua maioria idosos e crianças”, afirmou.

“É uma reforma de perdas, perdas, e somente perdas para o trabalhador. Não se fala em rever a política de desonerações que, somente este ano, deve tragar mais de R$ 300 bilhões do orçamento público. Não se fala no efetivo combate à sonegação, que deixa escoar pelos ralos da impunidade mais de meio trilhão de reais”, ressaltou.

O líder do PT fez questão de registrar que o governo Lula fez ajustes na Previdência Social, mas sem retirar direitos dos trabalhadores e, sim, combatendo fraudes e corrigindo distorções que mais faziam todos perderem do que ganharem.