Governo do Ceará instaura inquérito para apurar as causas da chacina de Milagres

O secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, informou nesta quarta-feira (12) em coletiva de imprensa que, conforme solicitado pelo governador Paulo Câmara, o Governo do Ceará instaurou procedimento disciplinar para apurar a responsabilidade pela chacina de Milagres (CE), no último dia 7, que culminou com a morte de 14 pessoas, sendo cinco pertencentes a uma mesma família da cidade de Serra Talhada.

Além disso, o Ministério Público do Ceará designou um grupo composto por nove promotores de justiça para apurar a ocorrência.

Para Pedro Eurico, o atendimento às solicitações significa que o Governo do Ceará está dando a atenção necessária ao fato.

“Numa ação que nos pareceu desmesurada e fora do limite, essas pessoas vão ter que ser responsabilizadas civil e criminalmente. Se você tem uma tentativa de assalto com reféns, a prioridade absoluta é preservar a vida de reféns, pois eles já estão numa situação de enorme risco e vulnerabilidade. Então, tem que se preservar o bem fundamental previsto na Constituição que é a defesa da vida”, disse o secretário.

O governador Camilo Santana (CE), num primeiro momento, chegou a se solidarizar com os PMs do Ceará, mas depois pediu desculpas à família “Magalhães”, de Pernambuco, que perdeu cinco dos seus membros.