Governador de SE diz ao blog que não teme ser cassado pela Justiça Eleitoral

De passagem pelo Recife nesta sexta-feira, o governador de Sergipe, Marcelo Deda (PT), deu ao blog a seguinte entrevista:

Como está o seu processo no Tribunal Superior Eleitoral?
 
Deda – Deve ser julgado neste semestre e eu aguardo o desfecho com muita tranquilidade. Não há uma só acusação contra mim por compra de votos, uso da máquina ou abuso de poder político e econômico.
 
Então por que motivo o senhor foi processado?
 
Deda– Em 2006 eu estava deixando a prefeitura de Aracaju para disputar o governo estadual (contra o pefelista João Alves Filho) e fizemos lá uma série de inaugurações festivas. Já que eu iria sair para disputar outro cargo, mandei acelerar as obras. Foi um mês seguido de inaugurações. Meus adversários, não conformados, representaram contra mim no TRE por suposta campanha antecipada,  mas os desembargadores eleitorais, por unanimidade, rejeitaram a acusação.
 
Quem recorreu para o TSE, o Ministério Público ou a coligação adversária?
 
Deda– O Partido dos Aposentados da Nação (PAN), que posteriormente foi incorporado ao PTB. Esse partido retirou a ação mas o ex-governador João Alves resolveu assumir a sua paternidade na tentativa de forçar um terceiro turno.

Isso lhe tem tirado o sono?
 
Deda– Não. Mas de certa forma chateia a gente. Como dois governadores já foram cassados sob acusação de abuso da máquina, muita gente em Sergipe imagina que o nosso caso é igual ao deles. E não é. Repito: não há um só ato ilegal que tenha sido praticado por mim nem durante a campanha nem nesses dois anos e seis meses de governo.
 
Como está sua relação com o PSDB do deputado Albano Franco?
 
Deda– Boa. O PSDB em 98 indicou o vice de João Alves (governador) mas em 2002 apoiou o nosso candidato (José Eduardo Dutra, do PT), no segundo turno. Em 2004 ficou comigo na reeleição para prefeito,  mas formalmente em 2006 se aliou ao PFL, embora uma grande parte do partido tenha ficado no nosso palanque. Não creio em apoio deles a mim, em 2010, porque a pressão de Serra será muito grande para que eles apóiem o candidato do DEM (que deverá ser João Alves novamente). Mas estou tranquilo para a reeleição.

A chapa de 2010 já está fechada?
 
Deda– Não. Uma vaga do Senado será do PSB (Antonio Carlos Valadares) e a outra do PMDB (Jackson Barreto ou Almeida Lima). Mas a vaga de vice está em aberto. Quem sabe não poderemos negociá-la com o PSC, que tem um deputado federal e é um partido forte em nosso Estado?.


Governador de SE diz ao blog que não teme ser cassado pela Justiça Eleitoral

De passagem pelo Recife nesta sexta-feira, o governador de Sergipe, Marcelo Deda (PT), deu ao blog a seguinte entrevista:

Como está o seu processo no Tribunal Superior Eleitoral?
 
Deda – Deve ser julgado neste semestre e eu aguardo o desfecho com muita tranquilidade. Não há uma só acusação contra mim por compra de votos, uso da máquina ou abuso de poder político e econômico.
 
Então por que motivo o senhor foi processado?
 
Deda– Em 2006 eu estava deixando a prefeitura de Aracaju para disputar o governo estadual (contra o pefelista João Alves Filho) e fizemos lá uma série de inaugurações festivas. Já que eu iria sair para disputar outro cargo, mandei acelerar as obras. Foi um mês seguido de inaugurações. Meus adversários, não conformados, representaram contra mim no TRE por suposta campanha antecipada,  mas os desembargadores eleitorais, por unanimidade, rejeitaram a acusação.
 
Quem recorreu para o TSE, o Ministério Público ou a coligação adversária?
 
Deda– O Partido dos Aposentados da Nação (PAN), que posteriormente foi incorporado ao PTB. Esse partido retirou a ação mas o ex-governador João Alves resolveu assumir a sua paternidade na tentativa de forçar um terceiro turno.

Isso lhe tem tirado o sono?
 
Deda– Não. Mas de certa forma chateia a gente. Como dois governadores já foram cassados sob acusação de abuso da máquina, muita gente em Sergipe imagina que o nosso caso é igual ao deles. E não é. Repito: não há um só ato ilegal que tenha sido praticado por mim nem durante a campanha nem nesses dois anos e seis meses de governo.
 
Como está sua relação com o PSDB do deputado Albano Franco?
 
Deda– Boa. O PSDB em 98 indicou o vice de João Alves (governador) mas em 2002 apoiou o nosso candidato (José Eduardo Dutra, do PT), no segundo turno. Em 2004 ficou comigo na reeleição para prefeito,  mas formalmente em 2006 se aliou ao PFL, embora uma grande parte do partido tenha ficado no nosso palanque. Não creio em apoio deles a mim, em 2010, porque a pressão de Serra será muito grande para que eles apóiem o candidato do DEM (que deverá ser João Alves novamente). Mas estou tranquilo para a reeleição.

A chapa de 2010 já está fechada?
 
Deda– Não. Uma vaga do Senado será do PSB (Antonio Carlos Valadares) e a outra do PMDB (Jackson Barreto ou Almeida Lima). Mas a vaga de vice está em aberto. Quem sabe não poderemos negociá-la com o PSC, que tem um deputado federal e é um partido forte em nosso Estado?.