0

Gilmar critica voto proporcional com lista aberta

Durante seminário realizado nesta segunda-feira (20), em Brasília, na sede do TSE, o ministro e presidente do órgão, Gilmar Mendes, atacou o voto proporcional com lista aberta vigente hoje no Brasil.

Ele disse que por esse modelo “vota-se em Tiririca e elege-se Valdemar da Costa Neto e Protógenes Queiroz”, que foi o que de fato ocorreu em São Paulo nas eleições de 2010: a grande votação obtida pelo palhaço cearense (cerca de 1,5 milhão de votos) arrastou para a Câmara Federal aqueles dois membros da coligação que sozinhos não se elegeriam
Segundo o ministro, é preciso discutir um sistema eleitoral mais verdadeiro e que evite distorções no que toca à vontade do eleitor.

“O debate não pode ser fechado numa fórmula simples. Nós já sabemos o que não queremos. E o que nós não queremos? Não queremos mais esse sistema que aí está”, declarou o ministro.

O voto proporcional com lista fechada (preparada pelos próprios partidos com os nomes dos seus candidatos) passou a ser defendido pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

No entanto, enfrenta resistência de muita gente, como a do presidente nacional do PTB, ex-deputado Roberto Jefferson (RJ). Ele disse que adotar o sistema de “lista fechada” nas próximas eleições é uma forma de proteger os envolvidos na Lava Jato para que continuem “roubando” o povo brasileiro.

Para ele, o eleitor tem o direito de escolher o seu candidato, que tenha rosto, CPF e identidade, o que não poderá fazê-lo se for obrigado a votar numa lista.

Deixe uma resposta

Inaldo Sampaio