Geraldo defende unidade para 2019

Coluna Fogo Cruzado – 13 de junho de 2019

Nenhum político do PSB de Pernambuco tem se revelado mais “antiBolsonaro” que o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, provável candidato do partido à sucessão de Paulo Câmara nas eleições de 2022. Ele não perde oportunidade para alfinetar o presidente da República mesmo quando não é chamado a opinar sobre temas do governo federal. Arranja sempre um jeito de dizer que Bolsonaro foi eleito em 2018 “prometendo emprego para todo mundo”, o que obviamente não é verdade, pois candidato a presidente, mesmo tendo um parafuso solto, não seria louco para fazer esse tipo de promessa. O que Geraldo Júlio aparentemente está desejando é ocupar em Pernambuco o espaço do “antiBolsonarismo”, sabendo-se que aqui no Estado ele obteve apenas 30% dos votos válidos, ante 70% do candidato do PT, Fernando Haddad. Quer fazer contraponto ao senador Fernando Bezerra, líder do governo no Senado, que deverá ser o principal candidato da oposição ao Palácio do Campo das Princesas. Porém, como 2020 é uma preliminar de 2022, o prefeito do Recife prega desde já a unidade dos partidos da Frente Popular. Não é algo difícil de se obter, desde que ofereça a vaga de vice de João Campos ao PT. O PCdoB já teve sua vez, inclusive no governo Paulo Câmara.

Troca de espaços

Em algumas áreas do PT, dá-se como certa uma aliança com o PSB, no Recife, em 2020, envolvendo a sucessão em Petrolina. Por esse suposto acordo, o PT indicaria o vice de João Campos (PSB), na capital, em troca da cabeça de chapa, em Petrolina, para o ex-deputado Odacy Amorim, que está na presidência do IPA mas não pensa 24h por dia no retorno à prefeitura.

Rompimento político

O prefeito de Carpina, Manoel Botafogo (PDT), anunciou ontem o seu rompimento com o ex-presidente regional do PSB, Milton Coelho, chefe de gabinete do governador Paulo Câmara. Botafogo ficou furioso porque Coelho teria dito que pretende formar uma grande frente de oposição naquele município, para enfrentá-lo, tendo como cabeça de chapa o ex-prefeito Joaquim Lapa.

Coelho de outra linhagem

Botafogo chegou a dizer que não reconhece Milton Coelho como liderança política em Pernambuco e que na chefia de gabinete de Paulo Câmara ele estaria se comportando como “desagregador”. Disse também que os “Coelho” que têm liderança em Pernambuco são os de Petrolina e que Milton Coelho, nascido em Codó (MA), não passaria de um “Coelho peba”.

Luta pela irrigação

Representante de Ouricuri na Assembleia Legislativa, o deputado Antonio Fernando (PSC), voltou animado de uma reunião que houve em Brasília entre os Ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Nacional para debater o “Canal do Sertão”, que levaria água do São Francisco para irrigar o Araripe. Essa era uma das bandeiras do ex-deputado Osvaldo Coelho.

Audiência pública

A Assembleia Legislativa fará audiência pública na próxima segunda-feira (17) para debater a duplicação da BR-423 que liga Garanhuns a São Caetano. A sugestão foi do deputado Sivaldo Albino, que vai disputar a prefeitura da “Suíça Pernambucana” pelo PSB. Essa duplicação foi prometida pelo ex-presidente Lula ao prefeito Luiz Carlos Oliveira, mas nunca saiu do papel.

A omissão de Raquel

Candidato, “por dentro da lista tríplice” ao cargo de procurador geral da República, o pernambucano José Robalinho Cavalcanti estranha o “silêncio” da atual procuradora, Raquel Dodge, sobre os diálogos entre o procurador Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sérgio Moro. Robalinho considera estranho que ela não tenha aberto a boca até agora para defender a instituição.

Despesa previdenciária

Ninguém da bancada do governo na Alepe contestou esta informação da deputada Priscila Krause (DEM) sobre a previdência estadual: nos 4 primeiros meses deste ano, Pernambuco gastou 170 milhões a mais com a sua folha de aposentados e pensionistas do que em igual período de 2018. Significa que sem a reforma da previdência, o déficit este ano chegará aos 3 bilhões.