0

Evento de Monteiro mexeu com Lula

Coluna Fogo Cruzado – 21 de março

Nome do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, não apareceu até agora em nenhuma das fases da Lava Jato

Políticos que acompanharam a visita de Lula a Monteiro (PB), no último domingo, voltaram para os seus estados convencidos de que a carinhosa manifestação de que ele foi alvo mexeu com sua cabeça para 2018. Ele ainda não se declara candidato à sucessão de Michel Temer. Muito pelo contrário, sempre age com cautela quando é questionado sobre a candidatura. Ora diz que está velho demais para ser candidato, ora que não sabe sequer se estará vivo em 2018, ora que o PT deve apostar em caras novas, como por exemplo o ex-prefeito Fernando Haddad (SP) cujo nome não apareceu até agora em nenhuma das 38 fases da Operação Lava Jato. O fato é que, mesmo não tendo tomado ainda uma decisão, o ex-presidente é o nome mais competitivo do PT para enfrentar essa parada. E, paradoxalmente, é o candidato mais forte e também o mais fraco. Tem ao mesmo tempo 30% de intenções de voto e cerca de 50% de rejeição.

Força nordestina

Senadores como Lindberg Farias (RJ), Gleisi Hoffmann (PR) e Vanessa Grazziotin (AM), que acompanharam, anteontem, a visita de Lula a Monteiro, tiveram oportunidade de constatar o que já sabiam pelos números das eleições: o ex-presidente tem muito mais força no Nordeste, hoje, apesar de responder a cinco processos na Justiça, do que no ABC paulista, que é o berço do “petismo”.

Ausência – O entorno de Lula notou a ausência de dois políticos nordestinos na caravana que visitou Monteiro (PB), domingo passado, para conhecer a obra da transposição: o senador Armando Monteiro (PTB-PE) e o governador Camilo Santana (PT-CE). Este último está de “namoro” com o PSDB.

Presença – Lulista juramentado, o deputado Sílvio Costa (PTdoB) não só foi a Campina Grande recepcionar o ex-presidente no Aeroporto João Suassuna, como viajou ao lado dele até a cidade de Monteiro (PB).

Aliança – O senador Humberto Costa (PT) está convencido de que o governador Ricardo Coutinho (PSB-PB) defenderá em 2018 uma aliança do PSB com o PT para a escolha do sucessor de Michel Temer.

Palestra – O procurador de contas Cristiano Pimentel (TCE) fará hoje a palestra de abertura, na Faculdade Boa Viagem, do I Simpósio de Combate à Corrupção com o tema “Operação Lava Jato e o combate à corrupção no Brasil”.

Emendas – O deputado Eduardo da Fonte (PP) apresentou duas emendas ao projeto de reforma previdenciária: uma mantendo as regras da aposentadoria rural e outra permitindo que mulher se aposente aos 60 anos de idade.

Dano – “Pirotecnia” é pouco para nominar a operação “Carne Fraca” da PF que danificou a imagem do Brasil no exterior relativamente à exportação de carne. O ex-ministro Francisco Turra (Agricultura) chamou-a de “irresponsável”.

Calma! – O presidente da Compesa, Roberto Tavares, esteve ontem em Goiana para tentar acalmar o prefeito Osvaldo Rabelo Filho (PMDB), que ameaça romper com a companhia se ela não der respostas rápidas às demandas da população.

Deixe uma resposta

Inaldo Sampaio