Efetivo da PM é o mesmo há 30 anos

Coluna Fogo Cruzado – 7 de junho de 2019

No mesmo dia em que saíram os números do Atlas da Violência 2017 apontando que Pernambuco, naquele exercício, foi o quinto estado mais violento do Brasil com 57,2 assassinatos por grupo de 100 mil habitantes, o governador Paulo Câmara anunciou a convocação de mais 500 homens para reforçar os quadros da PM. O objetivo das nomeações é suprir carências na Polícia Militar, que tem o mesmo efetivo há 30 anos: cerca de 19 mil homens para 27 mil vagas disponíveis. Esse efetivo jamais estará completo por pelo menos duas razões. Primeira, as limitações financeiras do Estado que o impedem de investir em segurança pública percentual da receita superior àquilo que ora investe. Segunda, as regras previdenciárias dos militares são mais generosas que a dos demais servidores públicos. De acordo com dados obtidos no Portal da Transparência, há em Pernambuco, hoje, 1,7 policial ativo para cada inativo, uma relação insustentável do ponto de vista previdenciário. Além disso, em geral os militares vão para a reserva com cerca de 50 anos de idade, o que torna ainda mais deficitário o nosso sistema de previdência. Significa que quando o governador resolve convocar mais 500 homens para preencher claros na PM, é porque pelo menos mil já passaram para a inatividade.

O exército de inativos

Pernambuco tinha em 2017 exatos 12.075 militares inativos, ante 13.012 em 2018. Como a maioria dessas pessoas veste o pijama com menos de 50 anos de idade e não aguenta ficar em casa só vendo televisão, procura um “bico” para completar a renda e geralmente o encontra na “Guarda Patrimonial”, ideia do governo Miguel Arraes.

Privatização do saneamento

O Senado aprovou ontem em votação simbólica o novo marco legal do saneamento, aproveitando parecer do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) à Medida Provisória 868/2018 que caducou na semana passada. Em Pernambuco, só dois municípios falam em privatizar seus sistemas de água e esgoto: Petrolina e Cabo de Santo Agostinho.

Previdência insustentável

O ex-secretário da Fazenda, Jorge Jatobá, colocou ontem para debate em nossa bancada federal um dado altamente preocupante: Pernambuco tem apenas R$ 300 milhões para investir no curso deste ano, mas gastou em 2018 com sua folha de aposentados e pensionistas R$ 2,65 milhões (quase 8 vezes mais). Isso, obviamente, não está correto.

Com grana para fazer obras

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), assinou ontem um contrato de empréstimo com o Banco Mundial no valor de US$ 73 milhões. Vai dispor de R$ 300 milhões para fazer investimentos no ano da eleição. No Recife, para não ser tragado pela crise, o prefeito Geraldo Júlio (PSB) anunciou um corte de R$ 110 milhões no orçamento deste ano.

Prefeito empreendedor

Roberto Cláudio (PDT) foi um dos 14 gestores públicos municipais que receberam em Brasília, quarta-feira à noite, o prêmio de “Prefeito Empreendedor” oferecido pelo Sebrae. Ele foi premiado na categoria Desburocratização e Implementação da Redesimples pelo projeto “Fortaleza Online”. Na edição deste ano inscreveram-se 1.160 projetos de todas as regiões do país.

Um dos dois vai sobrar

O novo presidente do PSDB, Bruno Araújo, não poderia ter convidado a deputada Alessandra Vieira para substituí-lo no comando do partido em Pernambuco porque a convenção realizada em novembro de 2017 continua válida. Ou seja, a menos que a direção regional seja destituída, o novo presidente é o ex-governador João Lyra Neto, eleito 1º vice na última convenção.

À moda antiga

O deputado e presidente da Alepe, Eriberto Medeiros (PP), gosta de vestir-se como os políticos da década de 50: terno de linho branco. Pelo menos um parlamentar que o antecedeu na cadeira de presidente cultivava esse mesmo hábito: Walfredo Paulino de Siqueira, que foi chefe político no Sertão do Pajeú e presidiu a Casa no governo Paulo Guerra (1964-1967).