Denúncia de suposta fraude na nomeação da nova diretoria do CREF chega ao MPF

Quinze conselheiros do Conselho Regional de Educação Física em Pernambuco denunciaram ao Ministério Público Federal a existência de suposta fraude na nomeação da nova diretoria do órgão para a gestão 2019/2021.

Na representação, os conselheiros afirmam que a nova diretoria “foi nomeada às escondidas, por ato unilateral da ex-presidência, após o cancelamento da reunião plenária que deveria ocorrer no dia 20/12/2018, em expressa violação do Estatuto do Conselho”.

Dizem ainda que tudo teve início antes mesmo da abertura da reunião plenária, que deveria antecipar a escolha da diretoria para a gestão 2019/2021, quando o grupo de situação, que comanda o Conselho desde sua fundação e já havia sido derrotado na eleição para a escolha dos novos conselheiros, “notou que perderia novamente a eleição e, com apoio do Conselho Federal, criaram um factóide acerca da capacidade de voto de uma ex-conselheira não eleita, que gerou um tumulto e esvaziou a reunião”.

Ante a situação, o ex-presidente teria baixado uma portaria nomeando, sem qualquer critério, a nova diretoria que foi escolhida dentre os seus apoiadores.

O Sistema CONFEF/CREFs foi criado em 1998, e desde então, nunca houve alternância no poder no Conselho de Pernambuco.