0

Júlio Lossio reassume a Prefeitura de Petrolina

Júlio Lossio - Ascom Petrolina

O prefeito de Petrolina, Julio Losssio (PMDB), reassumiu o cargo nesta segunda-feira (25) após uma viagem de uma semana a Roma (Itália).

Durante a sua estada no exterior, autorizada pela Câmara Municipal, respondeu pelos negócios do município o vice-prefeito Guilherme Coelho (PSDB).

Enquanto Lossio esteve no exterior, o noticiário sobre a sucessão dele foi pra lá de farto.

O deputado estadual Miguel Coelho (PSB) divulgou nota afastando a hipótese de o seu partido compor-se com o prefeito em 2016, como admite o também deputado Lucas Ramos (PSB), deixando com as orelhas em pé o também deputado Odacy Amorim (PT), que sonha com o apoio do prefeito.

0

Vice representa Paulo Câmara na 10ª Caprishow

Raul Henry - foto roberto pereira - SEI

O vice Raul Henry (PMDB) representou o governador Paulo Câmara (PSB) neste final de semana na abertura da 10ª Caprishow, a feira de caprinos e ovinos do município de Dormentes, considerada uma das maiores do Brasil.

Estavam em sua companhia o vice-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho (PSDB) e o deputado Lucas Ramos (PSB), vice-líder do governo na Assembleia Legislativa.

A comitiva foi recepcionada pelo prefeito Roniere Reis (PSB) e vários secretários municipais.

O vice de Petrolina, que frequenta a feira desde a primeira edição, declarou o seguinte: “Costumo dizer que aqui é a pátria do caprino e do ovino.

Mas lamento muito que o governo federal não apoie iniciativas como esta e que não tenha políticas públicas que estimulem a agropecuária nas terras secas do semiárido. Os pequenos produtores e fazendeiros desta região são heróis, que lutam contra a seca, contra a falta de crédito e tantas outras dificuldades, mas são persistentes, são fortes. Por isso estão de parabéns”.

A Caprishow se prolonga até este domingo, com exposição de caprinos e ovinos. O município é o maior produtor de ovinos de Pernambuco e abastece regularmente o “bodódromo” de Petrolina, uma das principais atrações turísticas do município.

0

TCE anula concurso da Prefeitura de Inajá

marcos nobrega - divulgação TCE

O Tribunal de Contas anulou nesta quinta-feira (21) um concurso público realizado em 2012 pela Prefeitura de Inajá para provimento de 296 cargos na administração municipal. O concurso foi realizado na gestão do então prefeito Airon Timóteo Cavalcanti, que ficou oito anos à frente da prefeitura mas somente no último ano do mandato resolveu fazê-lo.

De acordo com o conselheiro substituto Marcos Nóbrega, que julgou o processo na Segunda Câmara, o certame estava eivado de irregularidades, segundo apurou uma auditoria realizada pelo TCE e julgada irregular na mesma sessão. Ele considerou que o concurso deveria ser anulado por três razões.

Primeira: o certame foi realizado no segundo quadrimestre de 2012 quando a prefeitura já estava comprometendo 59,40% de sua receita corrente líquida com o pagamento da folha de pessoal.

Segunda: o prefeito não fez nenhum concurso nos sete primeiros anos dois seus dois mandatos e nomeou os aprovados entre os meses de maio e junho de 2012, quando faltavam cerca de três meses para as eleições municipais.

Terceira: leis municipais sancionadas pelo então prefeito em 05/10/2011 e 20/06/2012 criaram cargos e aumentaram vencimentos de servidores, afrontando o artigo 22, parágrafo único, da Lei de Responsabilidade Fiscal.

“Não se está questionando a realização do concurso. Ao contrário, ele deveria ter sido feito há muito mais tempo, pois essa é a regra constitucional para ingresso no serviço público. A irregularidade está nas nomeações em face da indisponibilidade financeira do município, agravada pelo fato de ter sido em final de gestão, com significativa oneração da folha de pagamento, deixando a prefeitura com sérias dificuldades administrativas e financeiras para o novo gestor”, disse Marcos Nóbrega.

Segundo ele, o razoável era que o prefeito em final de mandato deixasse para o sucessor a responsabilidade pela nomeação dos aprovados, após estudo das reais necessidades do município.

O ex-prefeito Airon Timóteo alegou em sua defesa que foi obrigado a fazer o concurso pelo Ministério Público do Trabalho, após assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta, mas suas alegações não convenceram o TCE.

De acordo com o relator, ele passou oito anos na prefeitura e nos sete primeiros abusou de contratações temporárias invocando a tese do “excepcional interesse público”.

Na auditoria especial realizada para apurar possíveis irregularidades nas etapas do concurso, o TCE chegou às seguintes conclusões: a) o concurso foi realizado pela Codeam (Comissão de Desenvolvimento do Agreste Meridional), que não tem habilidade técnica para a realização desse serviço; b) a organizadora do concurso, Comanas (Consórcio dos Municípios da Mata Norte e do Agreste Setentrional), não possui como objetivo e finalidade a realização de concurso público; c) as provas elaboradas pelo Comanas eram quase idênticas às que foram aplicadas num concurso da Prefeitura de Passira; d) a maioria dos aprovados tem relação direta de parentesco com o ex-prefeito, o ex-vice, a ex-primeira-dama e demais políticos locais; e) várias provas foram levadas pelos candidatos e os cartões de resposta foram corrigidos de forma manual, apesar de o modelo ensejar apuração eletrônica.

O TCE entendeu que a conduta do ex-prefeito caracteriza “fortes indícios” de prática de improbidade administrativa e por isso aplicou-lhe uma multa no valor de R$ 7.000,00.

As nomeações foram consideradas ilegais, com a consequentemente negativa dos registros, determinando-se ao atual prefeito do município o desligamento dos servidores, “após o trânsito em julgado desta deliberação, salvo ordem judicial em contrário”.

0

Morre em Petrolina irmão do conselheiro Ranilson Ramos

ranilson_ramos_foto_nathalia_bormann

Morreu em Petrolina nesta quinta-feira, aos 65 anos de idade, o empresário Arnaldo Brandão Ramos, irmão do ex-deputado estadual e conselheiro do Tribunal de Contas, Ranilson Ramos. Ele foi vítima de uma parada cardíaca.

O corpo está sendo velado em sua própria residência, localizada à Rua Manoel Clementino, 1684, no centro da cidade. O sepultamento ocorrerá nesta sexta-feira, às 9h, no Cemitério Campo das Flores, no centro da cidade.

Esse foi o segundo irmão que o ex-deputado perdeu. O primeiro, Raimundo, também morreu em Petrolina alguns anos atrás.

0

Teobaldo cobra de ministro conclusão das obras da Adutora do Pajéu

Ricardo-Teobaldo_Crédito-Erivaldo-Carvalho

O deputado Ricardo Teobaldo (PTB-PE) cobrou do ministro da Integração, Gilberto Occhi, nesta quarta-feira (20), a conclusão das obras da barragem de Ingazeira e da Adutora do Pajeú.

Segundo ele, o Pajeú passa por uma grande seca porque não há mais água em nenhum dos seus reservatórios.

Muitas cidades estão sendo abastecidas por carros-pipa e o Dnocs não move uma palha – seguramente porque o Ministério não manda o dinheiro – para concluir aquelas duas obras.

A Adutora do Pajeú foi inaugurada duas vezes pela presidente Dilma Rousseff mas a água que sai do São Francisco, na altura do município de Floresta, só está chegando a Afogados da Ingazeira.

Caso seja concluída pelo governo federal, a barragem de Ingazeira terá uma capacidade de acumulação de 48,7 milhões de metros cúbicos.

A obra está orçada em R$ 42 milhões e se destina a abastecer os municípios de Ingazeira, São José do Egito, Tabira e Tuparetama.

Já a Adutora do Pajeú está orçada em R$ 500 milhões com recursos oriundos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

O ministro prometeu agilizar as duas obras, porém em ano de aperto fiscal não se deve levar a sério essa promessa.

0

PSB escala vereador de Petrolina para responder a filho de Júlio Lossio

julio-lossio 2 - foto gilson pereira

O PSB de Petrolina escalou um vereador do PSL (Adalberto Filho, o “Betão”) para responder a Júlio Lossio Filho, que trocou “chumbo” recentemente com o deputado Miguel Coelho (PSB).

Coelho soube que seu colega de bancada e de partido, Lucas Ramos (PSB), iniciara um processo de aproximação com o prefeito Júlio Lossio (PMDB) visando às eleições de 2016. E rechaçou de pronto essa possibilidade dizendo que prefeito elegeu-se em 2012 com “falsas promessas” e atacou a honra de Eduardo Campos nas eleições de 2006.

Em resposta ao deputado, que é filho de Fernando Bezerra, Júlio Lossio Filho teceu duras críticas ao senador e admitiu conversar com o PSB no próximo ano se o candidato do partido a prefeito for o deputado Lucas Ramos.

Hoje (20), o vereador Adalberto Filho deu a seguinte resposta ao filho do prefeito:

Pobre Julinho…Ainda nem saiu dos cueiros e esse filho do prefeito Júlio Lossio parece ter herdado a vocação de comediante do pai. E quer aparecer, pois agora é até porta voz da prefeitura para defender da investigação do São João.

Ele fala na imprensa, mas o pai e os cargos de confiança falam na Polícia Federal, que já afirmou que a festa é uma verdadeira fraude e que uma quadrilha se instalou na prefeitura para praticar desvios e roubalheiras. É mentira minha ou da Polícia Federal, Julinho?

O filho do prefeito acredita que os petrolinenses e pernambucanos não têm memória. Na ânsia de criticar o deputado estadual Miguel Coelho, o filho do prefeito escreveu uma carta cheia de ódio para atacar o deputado. Tão jovem e tão odiento?

O filho do prefeito esquece que o pai dele foi, sim, o principal crítico de Eduardo Campos em Pernambuco. Críticas desleais, caluniosas e que por várias vezes mereceram o repúdio público do ex-governador e do PSB.

Empolgado e desinformado Julinho não sabe que FBC foi vice de Miguel Arraes, numa eleição que todos sabiam que seria derrotado. O próprio Dr. Arraes o convidou para voltar ao PSB em 2005 e foi Fernando Bezerra Coelho o primeiro prefeito a defender o nome de Eduardo para governador em 2006.

Quanto às agressões e ilações dirigidas ao senador, Julinho, empolgado, falta com respeito à trajetória e à extraordinária votação obtida na última eleição por Fernando Bezerra Coelho, com mais de 2,6 milhões de votos, sendo mais de 90 mil votos obtidos em Petrolina!

Temos plena confiança de que as investigações em curso vão confirmar a lisura com que Fernando conduz a sua vida pública, que esse ano completa 33 anos, sem qualquer condenação em qualquer instância. Vamos ver se o pai de Julinho conseguirá explicar histórias tão nebulosas na Polícia Federal e nos órgãos fiscalizadores.

Portanto, o filho do prefeito precisa ler mais, conhecer um pouco melhor a política pernambucana. Ou, ler com mais atenção antes de assinar um texto que alguém lhe entrega.

0

Filho do prefeito de Petrolina rebate críticas do deputado Miguel Coelho

Miguel Coelho - foto João Bita

Por meio de nota enviada ao Blog, o filho do prefeito de Petrolina, Júlio Lossio Filho (PMDB), rebateu as críticas do deputado Miguel Coelho (PSB) a uma eventual aliança dele (prefeito) com o Partido Socialista Brasileiro visando à sucessão municipal.

Coelho disse que o PSB não tem interesse nessa aliança, que o prefeito se elegeu em 2012 com “falsas promessas”, que agrediu moralmente o ex-governador Eduardo Campos e que o partido terá candidato próprio nas eleições de 2016.

Veja, abaixo, a resposta do filho do prefeito, que também se chama Julio Lossio:

Caro jornalista:

O deputado Miguel Coelho, na ânsia de ter o seu nome ungido ao cargo de Prefeito de Petrolina, que por duas vezes o povo de Petrolina concedeu ao meu pai, confunde pessoas e acontecimentos.

É verdade que o prefeito Julio Lossio sempre foi oposição ao PSB e, consequentemente, ao Ex-Governador Eduardo Campos.

No entanto, diferente de muitos, Julio Lossio sempre fez oposição no campo das ideias e, certamente por isso, sempre teve o respeito do ex-governador Eduardo Campos e de sua família. O prefeito, inclusive, já homenageou a então primeira-dama, Renata Campos, com o troféu Asa Branca.

Mas parece que o Deputado esquece a biografia do seu próprio pai, o hoje Senador Fernando Bezerra Coelho.

O que todos sabem é que quem traiu Miguel Arraes e Eduardo foi Fernando, que após ser candidato a vice de Arraes, migrou para apoiar a reeleição de Jarbas Vasconcelos para Governador de Pernambuco.

Foi Fernando também que, quando ocupava o Ministério da Integração Nacional, dizia que não era hora de Eduardo ser candidato a presidente, defendendo a então chefe “Dilma”, para somente apoiar Eduardo tempos depois, quando sua candidatura se mostrou inevitável.

É bom lembrar que quem tentou minar o candidato Paulo Câmara para tomar o seu lugar quando da morte de Eduardo não foi Julio Lossio, foi Fernando.

Hoje, quem, de alguma forma, coloca o nome de Eduardo Campos em situação difícil e mancha a honra e a memória do Ex-Governador publicamente é o Senador Fernando Bezerra, citado na operação Lava Jato como tendo pedido, e recebido, 10 milhões de reais supostamente a mando de Eduardo.

É triste que o Governador não esteja mais vivo para esclarecer essa história, pois, segundo o que circula no meio político, Eduardo jamais daria a Fernando a missão de captar recursos para a sua campanha.

O prefeito Julio Lossio tem feito um governo de cunho social, com um olhar especial para as crianças, a saúde, a educação e a mobilidade urbana. Tanto é que derrotou o deputado Fernando Filho com margem histórica de votos, mesmo disputando contra tudo e contra todos.

Quanto às eleições municipais de 2016, o Prefeito Julio Lossio é o maestro da nossa orquestra e saberá a hora de colocar o nosso time na rua.

Penso, porém, que se o deputado Lucas Ramos conseguir viabilizar sua candidatura dentro do PSB poderemos ter uma grande união de forças por Petrolina, e não em torno de projetos familiares.

Atenciosamente,

Julio Lossio Filho

0

Miguel Coelho quer o PSB de um lado e Júlio Lossio do outro

Julio Lossio - Foto Gilson Pereira

O deputado estadual Miguel Coelho (PSB) negou nesta terça-feira que o PSB de Petrolina tenha interesse numa aliança com o prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), para as eleições de 2016.

Além de considerar “inoportuna” a antecipação do debate eleitoral, o deputado não vê a menor possibilidade de esta aliança acontecer.

Lossio foi reeleito em 2012 com mais de 40% dos votos válidos derrotando o então candidato do PSB, Fernando Bezerra Filho (PSB), irmão de Miguel Coelho.

O deputado afirma que o PSB terá candidato próprio à prefeitura no próximo ano “em função das excelentes votações obtidas por seus quadros nas últimas eleições”.

O prefeito está na Europa em viagem particular e quem está respondendo pela prefeitura é o vice Guilherme Coelho (PSDB), primo do deputado Miguel.

0

Embrapa promove em Petrolina o IV simpósio de mudanças climáticas

Fernando Bezerra Coelho - divulgação

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que preside a Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, participará nesta terça-feira (19) da abertura do IV Simpósio de Mudanças Climáticas e Desertificação no Semiárido Brasileiro promovido pela Embrapa.

Durante o encontro, que se prolongará até a próxima quinta-feira (21), serão debatidos temas como “Funcionalidade do ecossistema”, “Desafios ao melhoramento genético de plantas frente às mudanças climáticas”, “Sustentabilidade para agregação de valor a produtos agropecuários” e “Mudanças climáticas e recursos hídricos”.

A Embrapa é uma das maiores e melhores empresas de pesquisa do mundo e a realização deste Simpósio sobre Desertificação no Semiárido Brasileiro tem tudo a ver com a situação em que o Nordeste se acha: com centenas de municípios sob estado de emergência e o retorno dos carros-pipa à paisagem urbana.

0

Senador apoia pleito da Univasf para construir campus em Ouricuri

Humberto Costa - Crédito Waldemir Barreto-Agência Senado.

Após reunir-se em Petrolina, neste final de semana, com o reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Julianeli Tolentino, o senador Humberto Costa (PT) deu apoio a um projeto dele no sentido de implantar um campus na cidade de Ouricuri, que fica a cerca de 200 km de distância.

“O Araripe abriga cerca de 350 mil habitantes e tem um grande destaque nacional por conta da sua produção de gesso, então é uma região que precisa e tem potencial para receber uma universidade federal”, disse o senador pernambucano.

Segundo o reitor da Univasf, o primeiro passo a Universidade já está dando “que é colocar a proposta no PDI deste ano que será apresentado ao MEC”.

No momento em que a presidente Dilma Rousseff planeja cortar R$ 80 bilhões do Orçamento deste ano para atingir o superávit primário desejado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, é improvável que o MEC se disponha a construir um campus na cidade de Ouricuri, por mais necessário e justo que seja.