0

João Lyra fará palestra nesta segunda para empresários do Lide

João Lyra Neto - foto eduardo braga -SEI

A convite do jornalista Drayton Nejaim  Filho, o governador João Lyra Neto fará uma palestra nesta segunda-feira (24) para os empresários pernambucanos filiados ao Lide (Grupo de Líderes Empresariais).

O governador irá falar, durante um almoço, sobre as condições de competitividade de Pernambuco para o ano de 2015, tema que interessa a muita gente porque a situação financeira do Estado não é das melhores.

O Lide é coordenado nacionalmente pelo empresário e jornalista João Dória Júnior. Atua em 12 países, sendo que, no Brasil, tem 1600 empresas estão associadas.

0

Seplag oferece cursos para gestores municipais

eduardo-campos- reprodução tv cultura

Para auxiliar os prefeitos pernambucanos na gestão e prestação de contas das ações ligadas ao Fundo Estadual de Apoio aos Municípios (FEM), lançado pelo então governador Eduardo Campos em 2012, o Instituto Gestão PE, vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), realizará a partir desta segunda-feira (24) o 2° Ciclo de Cursos de Capacitação para as Prefeituras.

Ao todo, 197 gestores indicados pelos 184 municípios do Estado receberão orientações nas áreas de contratação, fiscalização de obras públicas e prestação de contas de convênios.

O curso, oferecido gratuitamente, terá carga horária total de 24h e acontecerá na UNINASSAU, localizado na Rua Jonatas de Vasconcelos, 92, Boa Viagem.

Serão três turmas divididas nos seguintes períodos: 24 a 26 de novembro; 26 a 28 de novembro e 03 a 05 de dezembro. O curso será ministrado por técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e da Secretaria Estadual das Cidades (SECID). Todos os participantes receberão material didático e certificado ao final.

Em 2013, o primeiro ciclo de capacitação apresentou os conceitos de Gestão Pública e atendeu a 209 participantes entre gestores, analistas e técnicos das prefeituras municipais em cinco cidades: Caruaru, Garanhuns, Petrolina, Recife e Triunfo.

0

“Seu Lunga” é enterrado na cidade de Juazeiro (CE)

gustavo_krause_foto_gleyson_ramos_divulgacao

Foi sepultado ontem na cidade de Juazeiro (CE) o corpo do comerciante Joaquim dos Santos Rodrigues, conhecido nacionalmente como “Seu Lunga”.

Ele tinha 87 anos de idade e morreu na manhã do sábado (22) no Hospital e Maternidade São Vicente de Paulo, na cidade de Barbalha (CE), vitima de câncer no esôfago.

Famoso por seu mau humor e sua intolerância à burrice e às perguntas óbvias ou sem sentido, “Seu Lunga” acabou se transformando num dos principais personagens da cultura popular nordestina.

Ele era poeta, vendedor de quinquilharias e repentista e suas respostas rápidas e inteligentes já viraram objeto de estudo por parte do professor aposentado da Universidade Federal do Ceará, Renato Casimiro, que há anos pesquisa e coleciona “causos” sobre o ilustre personagem.

“Seu Lunga” inspirou inúmeros folhetos da literatura de cordel retratando-o como personagem zangado, bruto e mal humorado.

Para Casimiro, entretanto, algumas anedotas atribuídas a “Seu Lunga” não são verídicas. “Nem tudo que se falava a respeito dele era verdade. Criou-se uma ficção a respeito dela, que tinha um humor refinado, era grosseirão, mas às vezes também se manifestava de forma sutil. E sabia fazer ótimos discursos”, disse o professor.

A seu ver, “tem muita coisa inventada (sobre o personagem), que não aceitava pergunta besta”.

A Prefeitura de Juazeiro decretou luto oficial de três dias pela morte de “Seu Lunga”, que deixou esposa e 13 filhos.

Coincidência ou não, “Seu Lunga” foi personagem de um artigo escrito recentemente (09/11) pelo ex-ministro Gustavo Krause para o JC, intitulado “Troféu Seu Lunga”. Confira:

Um dos meus dez fiéis leitores, ou seja, 10% deste vasto universo, me cobrou: “Como é cara? Não escreve mais?”.

De fato, resolvi dar um tempo diante do bate-boca eleitoral e do furor analítico que tomaram conta da mente e do coração dos brasileiros. Afinal, nada acrescentaria ao acalorado debate, não poucas vezes, contaminado pelo veneno da ofensa.
Enquanto a pauleira corria solta, não sei por quê, uma súbita associação de ideias me fez refletir sobre o idiota. Talvez, uma autoanálise que me denunciava como o próprio idiota.

Que tipo de idiota? Eis uma questão pertinente (no meu caso, deixo o enquadramento a critério do leitor). Com efeito, a palavra idiota, desgarrada da origem grega (pessoa leiga, o homem privado face ao homem público) e do diagnóstico psiquiátrico, tem dois significados.
De um lado, o significado inspirado no personagem central da obra canônica de Dostoiévski, O Idiota, na qual o príncipe Michkin é criatura benevolente, generosa, ingênua, portadora de pureza e de compaixão reveladoras de um ser inadaptado ao mundo perverso; de outro lado, está o significado corrente que empresta ao idiota uma cesta de sinônimos, entre os quais, estão: cretino, tolo, pateta, palerma, parvo, abobalhado, abilolado, energúmeno, estúpido, leso, mentecapto, banana, bocó, desmiolado, pato, mané, etc.

Ora, diante desta amplitude, quem não cometeu idiotices, atire o último sinônimo! Cuidado, é pecado, diz a Bíblia, atribuir ao próximo a pecha de idiota.

Assim sendo, é preciso identificar tipos: existe o idiota ocasional e o idiota fundamental; o idiota, pessoa física, e o idiota coletivo, o maria-vai-com-as-outras, a massa, o rebanho, a manada, a multidão, o consumidor, o torcedor, o eleitor. Todos, vulneráveis à manipulação.

Existem os inofensivos e os de alta periculosidade, estes, em geral, ativos, influentes, imodestos. Aliás, alguém já disse que, atualmente, “o idiota perdeu a modéstia” o que é um corolário da constatação genial de Nelson Rodrigues: “O grande acontecimento dos nossos dias foi a ascensão espantosa e fulminante do idiota”.

E o que tem “Seu Lunga” a ver com isso? Seu Lunga, Joaquim dos Santos Rodrigues, cearense, residente em Juazeiro do Norte, estabelecido no ramo do comércio de sucata, tornou-se conhecido como o homem mais ignorante do país, rude, grosso que nem papel de embrulhar prego e, sobretudo, implacável combatente da idiotice.

Seu Lunga fica arretado quando contam suas histórias. Diz que é mentira. Não adianta. Virou verdade. São tiradas saborosas. Aí vão algumas: Seu Lunga estava coçando a cabeça por cima do chapéu. Aí um cara perguntou: “Seu Lunga, por que não tira o chapéu?”

Seu Lunga, rápido no gatilho: “Você tira a calça pra coçar a bunda?”. Seu Lunga estava sentado no ônibus e, ao lado, o lugar vago, aí o cara perguntou: “Seu Lunga tem alguém sentado do seu lado?”. “Se tem, tô cego. Num tô vendo”. Seu Lunga ia saindo de casa e deu de cara com o vizinho. “Bom dia, Seu Lunga, para onde vai tão cedo”. “Vou pro enterro do Chico”. “E Chico morreu”. “Não. A família se reuniu e vai enterrar Chico vivo mesmo”.
Seu Lunga levou o carro pra oficina. O mecânico perguntou: “Seu Lunga esse carro ronca”?

“Sei não. Ele dorme na garage”. Um amigo encontrou Seu Lunga: “Nunca mais vi o sinhô.

Por onde o sinhô anda?”. “Pelo chão mesmo. Ainda não aprendi a voar”.

No dia da eleição, Seu Lunga, abusadíssimo, foi votar. A jovem mesária perguntou: “Veio votar, Seu Lunga?”. “Não. Vim doar sangue para o bem do Brasil”.

Por essas e outras, foi instituído o troféu “Seu Lunga”, um prêmio para as pessoas que, a exemplo dele, contribuem para reduzir a Taxa de Idiotice Nacional – TIN. Conte sua história e envie para o seguinte endereço: bradoretumbante@giganteadormecido.com E fique tranquilo. A Comissão Espertobras julgará, com decência e isenção, os casos apresentados.

0

Associação Nacional dos Jornais é contra limitação de divulgação de pesquisas

Randolfe Rodrigues - Foto Agência senado

A Associação Nacional dos Jornais posicionou-se neste final de semana contra a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) de autoria do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) que proíbe a divulgação de pesquisas eleitorais nos últimos 15 dias antes da data das eleições

Segundo o senador, muitos candidatos já perderam eleições pelo “poder indutor” de pesquisas eleitorais “imprecisas, improváveis e inexatas”, sem falar naquelas que são encomendadas “para induzir o voto do eleitor”.

O senador e relator da matéria na CCJ,  Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), deu parecer favorável ao projeto, mas deve marcar uma audiência pública para ouvir os representantes dos institutos de pesquisa e dos meios de comunicação.

0

Ministério Público pede “inidoneidade” da Queiroz Galvão e de mais sete grandes empreiteiras

Augusto Sherman

O Ministério Público sugeriu neste final de semana que o Tribunal de Contas da União declare a “inidoneidade” para contratar com o serviço de todas as empreiteiras supostamente envolvidas no escândalo da Petrobras, entre elas a pernambucana Queiroz Galvão.

A sugestão foi feita pelo procurador de Contas junto ao TCU, Júlio Marcelo de Oliveira, com base nas investigações feitas até agora.

Em seu pedido, o procurador escreveu o seguinte: “No âmbito administrativo, há que se ter a celeridade necessária para que o patrimônio público seja recomposto e as sanções aos infratores da lei, aplicadas”.

O documento foi entregue ao ministro Augusto Sherman, responsável pelos casos relativos à Petrobras. O ministro não tem prazo para levar o pedido ao plenário do TCU.

Além da Queiroz Galvão, seriam declaradas “inidôneas” para participar de licitações públicas pelos próximos cinco anos as empresas Camargo Correa, OAS, UTC, Engevix, Mendes Júnior, Galvão Engenharia e Iesa.

Segundo a PF, essas empreiteiras e a Odebrecht têm contratos com a Petrobras que somam R$ 59 bilhões.

0

Primeiros nomes do ministério de Dilma deverão ser confirmados nesta segunda ou terça-feira

Armando Monteiro Neto - foto ana luiza souza - divulgação

O Palácio do Planalto deve confirmar nesta segunda ou terça-feira os primeiros nomes do futuro ministério da presidente Dilma Rousseff.

O anúncio deveria ter sido feito na última sexta-feira, mas foi cancelado à última hora.

As escolhas mais aguardadas referem-se aos nomes da equipe econômica, mas os jornais já dão como certos os seguintes nomes:

Joaquim Levy iria para o Ministério da Fazenda e Nélson Barbosa para o Planejamento. Ambos já integraram a equipe econômica no primeiro governo do presidente Lula.

Levy foi secretário do Tesouro Nacional e Barbosa é ex secretário-executivo da Fazenda. Para assumir a pasta, Levy terá que deixar o cargo de diretor-superintendente do Bradesco.

Carlos Hamilton, diretor de Política Econômica do Banco Central, deve deixar a instituição para assumir a Secretaria do Tesouro. Alexandre Tombini deverá permanecer na presidência do BC.

Já o senador pernambucano Armando Monteiro Neto (PTB) iria para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e a senadora Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura.

0

“Veja” volta a fazer acusações a Dilma e a Lula

dilma-rousseff -- divulgação

A revista “Veja” não desiste do seu intento de tentar envolver o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff no escândalo da Petrobras.

Dois dias antes do segundo turno da eleição presidencial, ela antecipou sua circulação em 24h para dar em manchete de primeira página que Lula e Dilma sabiam de tudo.

Foi uma clara tentativa de impedir a vitória da candidata petista e de influenciar os indecisos a votarem em Aécio Neves (PSDB).

Na edição que está nas bancas, a revista publica novo trecho do depoimento que o doleiro Alberto Yousseff teria dado à Justiça, sob delação premiada, com acusações a Lula e a Dilma.

De acordo com a publicação, a partir das declarações do doleiro a Polícia Federal teria encontrado em computadores do Palácio do Planalto uma mensagem enviada em 29 de setembro de 2009 pelo ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, um dos investigados pela “Operação Lava a Jato”.

Na mensagem, dirigida a Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil, Paulo Roberto avisa ao Palácio do Planalto que “por ter encontrado irregularidades pelo terceiro ano consecutivo”, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia recomendado ao Congresso Nacional a paralisação de três obras da Petrobras: construção e modernização das refinarias Abreu e Lima (PE) e Getúlio Vargas (PR) e do terminal do porto de Barra do Riacho (ES).

Segundo ainda a publicação, o ex-diretor da Petrobras  deixava implícito na mensagem um pedido para que houvesse uma “solução política” para que as obras não fosse paralisadas.

Ontem mesmo, o Palácio do Planalto divulgou nota afirmando que as “práticas ilegais” do ex-diretor “só vieram a público em 2014 graças às investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público”.

Acrescenta que as pendências apontadas pelo TCU nas obras da Refinaria Abreu e Lima (PE) já haviam sido comunicadas, em agosto de 2009, à Casa Civil pelo Congresso e foram repassadas ao órgão competente, a Controladoria Geral da União (CGU).

Diz ainda que representantes do TCU, da Comissão Mista de Orçamento do Congresso, da Petrobras e do Ministério de Minas e Energia discutiram a solução das pendências e, posteriormente, o Congresso Nacional tomou a decisão política de não permitir a paralisação das obras.

0

Ministro do STF revoga autorização dada a José Dirceu para viajar a SP

jose-dirceu-foto-agência-brasil

Em despacho assinado neste sábado (22), o ministro do STF e novo relator do processo do mensalão, Luís Alberto Barroso, tornou sem efeito a autorização dada ao ex-deputado José Dirceu pelo juiz da Vara de Execuções Penais de Brasília, Nélson Ferreira Júnior, para viajar a São Paulo em caráter particular.

José Dirceu cumpre o restante da pena a que foi condenado (7 anos e 11 meses de prisão) em regime domiciliar. O seu pedido teve parecer contrário do Ministério Público. Mas, mesmo assim, o juiz despachou favoravelmente.

No entanto, como não foi avisado previamente dessa viagem, o ministro Barroso revogou a autorização dada pelo juiz com esse despacho:

“Solicite-se ao Juízo da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas do Distrito Federal, com a máxima urgência, informações acerca do pedido, da manifestação do Ministério Público e dos fundamentos da decisão, que deverá ficar suspensa até ulterior deliberação deste relator ou do Supremo Tribunal Federal”.

O despacho do juiz foi o seguinte: “Tenho como suficientemente motivado e justificado o pedido de viagem do apenado, por ser de conhecimento público o seu desligamento do anterior emprego, mostrando-se necessária a sua ida a São Paulo para tratar de assuntos administrativos da empresa por ele constituída, ou seja, trata-se de viagem a trabalho”.

José Dirceu solicitou também autorização para passar o Natal com seus familiares no município de Passa Quatro (MG) mas o pedido ainda não foi analisado.

0

Cadeira de Kátia Abreu no Senado ficará com um petista

katia_abreu_foto_agencia_senado

A senadora reeleita Kátia Abreu (PMDB-TO) teria sido convidada pela presidente Dilma Rousseff (PT) para assumir o Ministério da Agricultura a partir de janeiro e dado “sim” ao convite.

A senadora é a presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e defensora do agronegócio no Congresso Nacional.

Caso a notícia seja confirmada pelo Palácio do Planalto, a vaga da senadora (que foi eleita em 2006 pelo PFL) ficará com um petista: Donizeti Nogueira.

O convite a Kátia Abreu faria parte de uma estratégia de Dilma Rousseff no sentido de procurar a interlocução do governo federal com a sociedade.

Kátia Abreu defende os interesses do agronegócio, setor que tem sido responsável pela grande maioria das exportações brasileiras.

0

Humberto Costa nega recebimento de dinheiro da Petrobras

Humberto Costa - foto André Corrêa

Informa o jornal “O Estado de São Paulo” deste domingo (23) que o senador Humberto Costa (PT-PE) teria recebido R$ 1 milhão do ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, para sua campanha eleitoral em 2010.

O dinheiro teria sido solicitado pelo empresário Mário Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra).

De acordo com Paulo Roberto, o dinheiro saiu da cota de 1% do PP (Partido Progressista), “que tinha o controle político da diretoria Abastecimento da estatal”, e se por acaso não fosse dado ele corria o risco de perder o emprego.

Humberto Costa foi eleito senador em 2010 na chapa encabeçada por Eduardo Campos (PSB), que se reelegeu governador. E ao tomar conhecimento da notícia divulgou a seguinte NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Em relação à publicação do jornal o Estado de São Paulo deste domingo que relata  supostas acusações do Sr. Paulo Roberto Costa dirigidas a mim em delação premiada, afirmo que:

1.       Todas as doações de campanha que recebi na minha candidatura ao senado em 2010 foram feitas de forma legal, transparente, devidamente declaradas e registradas em minha prestação de contas à justiça eleitoral e inteiramente aprovadas, estando disponíveis a quem queira acessá-las;

2.       Assim, nego veementemente ter pedido a quem quer que seja que solicitasse qualquer doação de campanha ao sr. Paulo Roberto;

3.       Tal denúncia padece de consistência quando afirma que a suposta doação à campanha teria sido determinada pelo Partido Progressista (PP) por não haver qualquer razão que justificasse o apoio financeiro de outro partido à minha campanha;

4.       Mais inverossímil ainda é a versão de que se o sr. Paulo Roberto não tivesse autorizado tal doação, correria o risco de ser demitido, como se eu, à época sem mandato e tão somente candidato a uma vaga ao Senado, tivesse poder de causar a demissão de um diretor da Petrobrás;

5.       Causa espécie o fato de que ao afirmar a existência de tal doação, o sr. Paulo Roberto não apresente qualquer prova, não sabendo dizer a origem do dinheiro, quem fez a doação, de que maneira e quem teria recebido;

6.       Conheci o sr. Paulo Roberto em 2004 e minha relação com ele se deu no campo institucional, no processo de implantação da refinaria de petróleo em Pernambuco, do qual participei assim como vários políticos, empresários e representantes de outros segmentos da sociedade pernambucana o fizeram;

7.       Conheço e sou amigo de infância do sr. Mário Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (ASSINPRA), que também foi partícipe da mesma luta pela refinaria. Porém, em nenhum momento eu o pedi e ele muito menos exerceu o papel de solicitar recursos ao Sr. Paulo Roberto para a campanha ao Senado de 2010.

8.       Tenho uma vida pública pautada pela honradez e seriedade, não respondendo a qualquer ação criminal, civil ou administrativa por atos realizados ao longo de minha vida pública;

9.       Sou defensor da apuração de todas as denúncias que envolvam a Petrobras ou qualquer outro órgão do Governo. Porém, entendo que isso deve ser feito com o cuidado de não macular a honra e a dignidade de pessoas idôneas. O fato de o sr. Paulo Roberto estar incluído em um processo de delação premiada não dá a todas as suas denúncias o condão de expressar a realidade dos fatos.

10.   Aguardo com absoluta tranquilidade o pronunciamento da Procuradoria-Geral da República sobre o teor de tais afirmações, ocasião em que serão inteiramente desqualificadas. Quando então, tomarei as medidas cabíveis.

11.   Informo ainda que me coloco inteiramente à disposição de todos os órgãos de investigação afetos a esse caso para quaisquer esclarecimentos e, antecipadamente, disponibilizo a abertura dos meus sigilos bancário, fiscal e telefônico.

Recife, 22 de novembro de 2014,

Humberto Costa
Senador da República