Bolsonaro convida mulher para o Ministério dos Direitos Humanos

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, convidou nesta quinta-feira (6) a advogada e assessora do senador Magno Malta, Damares Alves, para o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

Malta esperava ter sido convidado, mas Bolsonaro disse que ele não estava no seu “radar” e que não existe ministério para todo mundo.

Damares, advogada, educadora e pastora evangélica, é a segunda mulher no governo Bolsonaro. A outra é a deputada federal Tereza Cristina, do DEM do Mato Grosso do Sul, que vai para a Agricultura.

O anúncio, porém, não foi feito pelo presidente eleito e sim pelo futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

A futura ministra é funcionária do gabinete do senador Magno Malta (PR-ES), que foi candidato à reeleição mas não conseguiu se reeleger.

Agora, só falta Bolsonaro anunciar apenas o ministro do Meio Ambiente.

A indicação de Damares desagradou ao deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), amigo de Malta Malta.

“Se antes parecia uma ingratidão, agora fica claro que há uma intenção de afrontar o Magno Malta”, disse ele, que foi um dos que vetaram o pernambucano Mozart Ramos Neves para o Ministério da Educação.