Bloco PSB-PP-MDB para enfrentar Rodrigo Maia pode chegar a 150 deputados

Apesar das ponderações do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, de que o PSB deveria apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara Federal, a maioria dos deputados do partido está mesmo disposta a formar um bloco com o PP e o MDB para enfrentá-lo.

Cada um tem um pré-candidato que são, respectivamente, JHC (AL), Arthur Lira (AL) e Fábio Ramalho (MG). PCdo B e PDT também serão procurados para engordar esse cordão.

Na quinta-feira (10), durante votação consultiva, o PSB decidiu por ampla maioria que o partido não apoiará a candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) pelo fato de ele ter recebido o apoio do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro.

Participaram da reunião 17 parlamentares e apenas um revelou interesse em apoiar Maia – Átila Lira (PI).

O bloco contra Maia poderia reunir, segundo seus líderes, cerca de 150 deputados, o que levaria ao segundo turno.

Segundo o líder do PSB, Tadeu Alencar (PE), o partido estava caminhando para apoiar Rodrigo Maia mas a aproximação dele com o PSL botou tudo a perder. “Quando Rodrigo não era visto como ‘candidato do governo’, isso era um ativo dele. Mas, no momento em que o partido do presidente Jair Bolsonaro aderiu à chapa dele, ele passou a ser identificado com a agenda do governo”, disse o deputado pernambucano.

Ele disse que Rodrigo foi um bom presidente por ter dado espaço na Câmara a todas as forças políticas que a compõem. “Ele não utilizou instrumentos para atropelar a oposição e deu um relativo equilíbrio para o funcionamento interno da Casa, além de ter tido uma boa postura de independência em relação ao Executivo”, declarou. Mas, agora, num eventual segundo mandato, esses compromissos não ficaram claro.