Biografia de Moro com nova mácula 

Coluna Fogo Cruzado – 11 de junho de 2019

Sérgio Moro não será exonerado do Ministério da Justiça pelo fato de o portal “The Intercept” ter divulgado no último domingo uma troca de mensagens entre ele e o procurador Deltan Dallagnol, sobre a Operação Lava Jato, que conduzira o ex-presidente Lula à prisão. Também não deixará de ser o ministro mais popular do presidente Bolsonaro pela coragem que teve de decretar a prisão do ex-presidente, bem como dos maiores empreiteiros do Brasil, sendo improvável, ainda, que esteja na “frigideira” como afirma o jornalista Elio Gaspari pela suposta decisão de disputar a Presidência da República em 2022. Afinal, quando o presidente o convidou para o Ministério da Justiça e Segurança Pública sabia que o então juiz da Lava Jato era quase uma unanimidade nacional. Convidou-o exatamente por isso e por essa mesma razão deseja mantê-lo no governo até a data de despachá-lo para a vaga de Celso de Mello no STF. O que Moro não tem como apagar é mais essa mancha em sua biografia de magistrado. A condenação de Lula pode até ter sido correta do ponto de vista técnico-jurídico, tanto que foi confirmada por tribunais superiores. Mas a troca de “figurinhas” entre o juiz e o Ministério Público Federal sobre o cerco ao ex-presidente é um desvio ético que vem a se juntar a outro igualmente grave: a autorização dada por ele para que o Brasil tivesse conhecimento de uma conversa telefônica entre Lula e Dilma Rousseff, divulgação que sabia ser ilegal mas mesmo assim deu o aval para que ela ocorresse.

De hoje não passa

Líder informal do “fórum de governadores”, João Doria (SP) espera que na reunião de hoje, no DF, à qual Paulo Câmara não comparecerá, pelo menos 6 dos 9  nordestinos declarem apoio à reforma previdenciária. Sete dos 9 já estão de acordo que a reforma deve abranger também estados e municípios. Só falta agora descer do muro e trabalhar pela sua aprovação.      

Fora da executiva

Raquel Lyra, prefeita de Caruaru, não pretende brigar para ter espaço na futura executiva regional do PSDB, que será definida na próxima quinta-feira (12). Deverão ter espaço na nova direção os prefeitos Joaquim Neto (Gravatá), Joãozinho Tenório (São Joaquim do Monte) e Judite Botafogo (Lagoa do Carro), além do ex-deputado Betinho Gomes.

Pelas regras únicas

O presidente da Amupe, José Patriota (PSB), é um dos signatários do manifesto entregue ao relator da reforma da previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), pela Confederação Nacional dos Municípios, pedindo regras únicas para a União, os estados e os municípios. Pernambuco tem 142 municípios com fundos próprios, dos quais 136 não têm equilíbrio atuarial.

Quem avisa amigo é

Bolsonaro voltou a usar as redes sociais para pressionar o Congresso a aprovar um crédito suplementar no valor de R$ 248 milhões em favor da União, sob pena, disse ele, de faltar dinheiro para o Pronaf, a Bolsa Família, as aposentadorias rurais e o Benefício de Prestação Continuada. São exatamente esses 4 itens que movimentam a economia de 70% dos municípios do Nordeste.     

Primeiros candidatos

Os deputados João Campos (PSB) e Túlio Gadelha (PDT) já começam a se movimentar visando à disputa pela sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Marília Arraes (PT) também gostaria de disputar, mas vai ter que se entender primeiro com Humberto Costa, que controla o partido. E o deputado Wanderson Florêncio está aguardando uma convocação oficial do PSC.

Em defesa da Chesf

A Câmara Federal instalará amanhã uma Frente Parlamentar em defesa da Chesf, empresa que já pode ser privatizada sem autorização do Congresso, segundo definiu o STF. Em passado recente, era possível mobilizar partidos de esquerda e movimentos sociais em defesa da Chesf, da Sudene e do BNB. Mas, hoje, quem sairia de casa para defender essas instituições?  

Pelo tombamento de Vilaça

O escritor Marcos Vilaça foi homenageado ontem pela Academia Pernambucana de Letras, da qual foi presidente, pela passagem dos seus 80 anos que só ocorrerá no próximo dia 30. Na presidência da extinta LBA, na ABL (da qual também foi presidente) e no TCU, ele sempre foi um divulgador apaixonado das coisas de Pernambuco, pelo que merece ser tombado.