0

As alternativas de FBC caso consume sua saída do PSB

Coluna Fogo Cruzado – 21 de julho

Caso consume sua saída do PSB, o senador Fernando Bezerra trabalha com duas alternativas. A primeira é a migração para o grupo político do deputado Rodrigo Maia, ora em busca de criar um novo partido para abrigar políticos do DEM e dissidentes do PSB. Esse projeto, porém, perdeu força na semana passada após a CCJ da Câmara Federal rejeitar a denúncia do MPF contra Michel Temer. Tivesse o parecer do deputado Sérgio Zveiter sido aprovado, cresceriam as chances de o próprio Rodrigo assumir a presidência da República por 180 dias, e depois convocar uma eleição indireta para a escolha do sucessor de Temer, que poderia ser ele próprio. Essa hipótese, hoje, está praticamente descartada. A segunda alternativa do senador é assumir o controle do PSD em Pernambuco, tendo em vista que o seu presidente, deputado André de Paula, já anunciou que votará favoravelmente, no plenário, à denúncia contra Michel Temer. O Planalto está jogando pesado contra seus opositores e André poderá ser a próxima vítima.

Cantando de galo

Costuma-se dizer em Petrolina que Fernando Bezerra Coelho, fraco, já costuma cantar de galo, que dirá com força política! Ele tem mais 5 anos de mandato de senador, um filho ministro (Fernandinho) e outro prefeito de Petrolina (Miguel). O senador bancou o nome do filho para o ministério, contra a vontade do PSB local e nacional, e o da deputada Tereza Cristina (MS) para líder da bancada na Câmara Federal e ela derrotou o pernambucano Tadeu Alencar.

Liberdade – Paulo Câmara pretende agir como Miguel Arraes em relação ao senador Fernando Bezerra Coelho e seu grupo político. Em 1998, após Jarbas eleger-se para o governo estadual, assessores de Arraes foram a ele com uma lista de prefeitos que ameaçam sair do PSB para acompanhar o governador eleito. Resposta de Arraes: “Não vou passar a mão na cabeça de ninguém. Quem quiser sair, saia!”.

Homenagem – O ex-vereador Sérgio Magalhães lembrou ontem na Câmara do Recife que foi de autoria dele a iniciativa de conceder ao Padre Edwaldo Gomes (Casa Forte), falecido anteontem, a Medalha José Mariano e o selo comemorativo dos seus 50 anos de ordenação sacerdotal.

Banalização – O ato de solidariedade a Lula promovido ontem no Recife pela CUT e alguns movimentos sociais reuniu pouquíssimas pessoas no Parque 13 de maio. Como esses atos estão sendo banalizados pelos seus próprios idealizadores, a presença de público é cada vez menor.

Cultura – Teve início ontem em São José do Egito a tradicional “Festa Universitária” que reúne naquele município, no mês de julho, filhos da terra que estudam em centros mais adiantados. Ela já foi, quando tinha o apoio do Governo do Estado, o maior evento cultural do Sertão.

Morosidade – Pelas contas do site “Congresso em Foco”, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) é alvo de 11 inquéritos no STF. Pergunta-se, então: por que não se concluiu pelo menos um para que a nação saiba se ele tem ou não culta no cartório? Abrir 11 inquéritos e não concluir nenhum depõe contra a imagem do próprio Judiciário.