0

Renovar seus quadros não é do interesse do PT

Coluna Fogo Cruzado – 15 de dezembro

O PT lançou Odacy contra Marilia Arraes porque não consegue viver sem uma briga interna

Tendo encolhido em Pernambuco nas duas últimas eleições, esperava-se que o PT fizesse um esforço hercúleo em 2018 para eleger bons quadros à Assembleia Legislativa à Câmara Federal e disputar o governo estadual com chapa própria. Os quadros do partido são praticamente os mesmos da época do combate ao regime autoritário: Humberto Costa, João Paulo, Fernando Ferro, Dilson Peixoto, Teresa Leitão, etc. Deixaram-no Maurício Rands, Isaltino Nascimento e Josenildo Sinésio. Mas ingressaram nos seus quadros Odacy Amorim e Marília Arraes, ambos egressos do PSB. Odacy teve o nome cogitado para disputar uma vaga na Câmara Federal mas de pronto rejeitou o convite alegando que precisa continuar na Assembleia Legislativa a fim de não perder de vista a prefeitura de Petrolina, principal alvo de sua atuação política. E Marília colocou seu nome à disposição do partido para concorrer ao Governo do Estado contra Paulo Câmara. Pois bem, quando se pensava que o partido iria se esforçar para unificá-lo em torno do nome da neta de Arraes, eis que a ala ligada a Humberto Costa lança o nome do próprio Odacy, que é candidato de mentirinha, para se contrapor ao da vereadora. Isso só vem confirmar a tese de que o PT adora uma briga interna e morre de medo de renovar seus quadros.

Grito de largada

João Campos, chefe de gabinete de Paulo Câmara, está com a candidatura arrumada à Câmara Federal. Partirá da área metropolitana com apoio dos prefeitos Geraldo Júlio (Recife) e Júnior Matuto (Paulista) e com a oposição de Ipojuca (ex-prefeito Carlos Santana). Em 2014 o prefeito do Recife apoiou Felipe Carreras (PSB) e, o de Paulista, Jarbas Vasconcelos (PMDB).

Prejuízo – Cleiton Collins (PP) acaba de perder um grande aliado em Abreu e Lima, mas isso não comprometerá sua reeleição à Assembleia Legislativa. O pastor Roberto Santos, manda-chuva da Assembleia de Deus naquele município, vai apoiar a filha, Rebeca, para deputada estadual.

Tabu – O advogado trabalhista Arnaldo Delmondes, natural de Araripina, decidiu disputar um mandato de deputado federal em 2018. Afirma que o Sertão do Araripe, que tem cerca de 300 mil eleitores, nunca mandou um filho seu para a Câmara Federal, e deseja quebrar esse tabu.

Em família – O prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD), examina a hipótese de lançar o nome da mulher, Cláudia Cordeiro, para disputar um mandato de deputado estadual. O seu federal já está escolhido desde 2014: Augusto Coutinho (SD).

A volta – Belarmino Souza, ex-vereador em Jaboatão, que havia sido expulso do PHS por decisão da executiva nacional, foi à Justiça e resolveu a parada. Obteve uma liminar no TSE que lhe deu o direito de reassumir a presidência do partido em Pernambuco.

Em dia – O prefeito Geraldo Júlio (PSB) fez um esforço sobre-humano para pagar hoje o 13º dos servidores públicos do Recife. No interior, porém, muitos prefeitos não vão conseguir pagar o 13º e a maioria dos que irão fazê-lo vão jogar para janeiro o pagamento da folha de dezembro.

Chapinha – Por decisão do presidente Eduardo da Fonte, o PP vai disputar as eleições para deputado estadual com uma “chapinha” para não servir de “cauda” para ninguém. O partido tem hoje 2 deputados federais e 6 estaduais e sua meta é mandar 3 à Câmara Federal e 10 à Alepe.