0

O ponto fraco de Dilma é a lentidão

Coluna Fogo Cruzado – 31 de janeiro

Dilma foi “vendida” na televisão como gestora pública austera, eficiente e trabalhadora

Durante a campanha de 2010, a então candidata a presidente da República, Dilma Rousseff, foi apresentada aos brasileiros como sendo uma gestora pública austera, eficiente e trabalhadora. Quem ouvia aquilo na TV tinha a impressão de que a candidata não guardava papel na gaveta, nem deixava problema para o dia seguinte. Resolvia tudo de imediato. A prática, todavia, tem mostrado uma presidente lenta e incapaz de tomar decisões que dependem unicamente dela. Um exemplo foi esse caso do Espírito Santo que o governador Eduardo Campos denunciou ontem em seu facebook. Dilma recebeu em março de 2012 do então ministro Fernando Bezerra Coelho a minuta de uma Medida Provisória relacionada com desastres naturais. Mas somente agora, depois que o Espírito Santo foi fortemente castigado por chuvas, é que a MP saiu do papel. Governante que passa quase dois anos para decidir uma besteira dessas merece ser reeleito?

O poder da indecisão

O caso da Medida Provisória do ES não foi o único exemplo de lentidão da presidente Dilma Rousseff. Ela consumiu exatos seis meses para escolher o substituto do ministro Carlos Ayres Britto no STF, quatro para demitir o ex-deputado Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) de uma vice-presidência da CEF, apesar de ele ter pedido para sair. E ainda não decidiu quem irá ocupar o Ministério da Integração, apesar de Fernando Bezerra ter deixado o cargo em 1º de outubro.

Penúria – Secretários da prefeitura de São José do Egito se cotizaram a fim de comprar roupa para os cubanos que aportaram lá pelo programa “Mais Médicos”. Todos chegaram lá, como se diz na gíria, “puxando uma cachorra”. E agora dizem que estão no paraíso porque o prefeito Romério Guimarães (PT) os hospedou numa boa pousada, onde comem do bom e do melhor.

Protesto – O ex-deputado Osvaldo Coelho (DEM) enviou carta à presidente Dilma Rousseff protestando contra a entrega do Projeto de Irrigação Pontal, em Petrolina, a um grupo privado.

Consórcio – Já foi oficialmente constituído o Consórcio dos Municípios do Sertão de Itaparica e do Moxotó, cujo presidente é o prefeito Simão Lopes Gonçalves (Carnaubeira da Penha).

Aliança – O PSB e a Rede de Marina terão candidato comum em 20 dos 27 estados. Mas enquanto não se entenderem em SP, que é o principal deles, a aliança não estará completa.

Conceito 1 – O PTB vai deflagrar uma campanha publicitária em Pernambuco, agora em janeiro, para reproduzir trechos da matéria da revista “Veja” que apontou o seu presidente regional, Armando Monteiro Neto (foto), como “o melhor senador do Brasil”.

Conceito 2 – O PSB também pretende usar, nacionalmente, uma entrevista dada pelo escritor Ariano Suassuna à “Folha de São Paulo” na qual ele faz este elogio ao governador de PE: “Considero Eduardo Campos o político mais brilhante que eu já conheci”.

Racha – Mais um vice rompeu com o prefeito ao lado de quem se elegeu nas eleições de 2012: Rafael Prequé (PSB), de Gravatá, filho do ex-prefeito Luiz Prequé (PSB) e genro do prefeito de Vitória, Elias Lira (PSD). Ele rompeu com o prefeito Bruno Martiniano (PTB) e o Palácio das Princesas já designou o líder do governo, Waldemar Borges (PSB), para tentar reconciliá-los.

Inquérito – O delegado Erick Lessa já concluiu o inquérito policial que indiciou 10 dos 23 vereadores de Caruaru pela prática de vários crimes, entre eles tentativa de extorsão. Mas é preciso também apresentar as provas para que não reste nenhuma dúvida sobre a culpabilidade dos acusados. Pra que manter esse processo em “segredo de justiça” se todos eles foram presos?