2

Com Zé Múcio não houve sabatina, mas com Antonio Toffoli, sim

É uma exigência da Constituição: os candidatos indicados pelo presidente da República para cargo de embaixador e de ministro dos tribunais superiores têm que passar, obrigatoriamente, pelo crivo do Senado.

Essa é, aliás, uma das atribuições da Câmara Alta.

Semana passada, o ex-deputado José Múcio (PE), indicado pelo presidente Lula para o TCU, foi “sabatinado” no Senado.

Em tese, ele deveria ter sido questionado sobre as atribuições do Tribunal de Contas da União, mas não foi.

Nenhum senador lhe fez qualquer pergunta embaraçosa. Muito pelo contrário, só se ouviu elogios à postura cavalheiresca e conciliadora do ex-deputado pernambucano, cujo nome foi aprovado sem problemas tanto na Comissão de Assuntos Econômicos como no plenário.

Com o advogado-geral da União, Antonio Toffoli, está sendo diferente. Ele realmente está sendo sabatinado sobre tudo quanto é de assunto polêmico, passível de ser objeto de julgamento na Suprema Corte do país.

O “sabatinador” mais inflexível foi o senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná. Mas o tucano Marconi Perillo (GO) não ficou atrás.

A sabatina teve início às 11h30 e até às 17h30 ainda não havia terminado. Mas, no geral, Toffoli saiu-se muito bem.

3

Cai o número de candidatos em relação a 2006

Coluna da Folha de Pernambuco do dia 01/10/09

Encerra-se domingo, dia 4, o prazo de filiação para quem quer disputar mandato em 2010. Ainda há muita gente atrás de partido. Mas em relação a 2006 o número de candidatos a deputado estadual com potencial igual ou superior a 15 mil votos será menor. Ou é desencanto com a política ou desinteresse pelo mandato, já que deputado, hoje, segundo palavras de Esmeraldo Santos, não tem prestígio para nada. Bom era ser deputado no passado, diz ele, quando se podia transferir juiz, promotor e delegado, nomear gente sem concurso, arranjar obras para os municípios sem fazer papel de pedinte nas secretarias e falar com o governador sem necessidade de marcar audiência. Hoje os tempos são outros, lamenta. O deputado pede, faz discurso, implora, manda requerimento, mas o governo só atende se quiser.

Quem sabe isto seja a causa de, até agora, haver menos de 40 candidatos novos realmente com chance, excluídos os vereadores do Recife: Rogério de Lucca, Alf, Ricardo Costa, Clóvis Corrêa, Carlinhos do Moinho, Adalberto Cavalcanti, Pereira, Zé da Luz, João Eudes, Silvino Duarte, João Mendonça, Júlio Cavalcanti, Cecílio Galvão, Douglas Cintra, Laura Gomes, José Humberto, Carlos Lapa, José Augusto Maia, Gisa Simões, Jayme Asfora, Roberto Asfora, Joaquim Neto, Josafá Botafogo, José Marcos, Delmiro Barros, Jânio Gouveia, Severino Ninho, Aluísio Lessa, Ranilson Ramos e Chico Siqueira. 

Dureza – A crise nas prefeituras que sobrevivem de FPM agravou-se em setembro. A de Taquaritinga do Norte, segundo o prefeito Evilásio Araújo (PSB), está literalmente em situação de risco. Em relação ao 3º trimestre de 2008 recebeu, a menor, R$ 300 mil.

A prova – Do ex-deputado José Marcos (PR) que conta com a simpatia palaciana para voltar à Assembléia nas eleições do próximo ano: “Dizem que o governador gosta muito de mim, mas só dizer que gosta não é o bastante. Tem que gostar e provar que gosta”.

Desmonte – Após perder, nos últimos 30 dias, o ex-governador Joaquim Francisco e os deputados estaduais Sebastião Rufino e Ciro Coelho, o DEM recebeu ontem outra péssima notícia: a desfiliação do ex-prefeito de Pesqueira João Eudes Tenório. Ele quer ser deputado estadual e acha que pelo DEM não chegaria, e se filiou ao PRP. Antes, avisou a Marco Maciel e a Mendonça Filho.

Acerto – Para “amansar” o ex-deputado Cintra Galvão (PTB), que andava chateado com o PSB por não conseguir marcar audiência com o governador, em Palácio, Eduardo Campos o recebeu terça. Ele levou em sua companhia o filho, Cecílio, advogado e ex-prefeito de Belo Jardim. Ficou acertado que o moço será o candidato do grupo a deputado estadual por um desses três partidos: PSB, PTB ou PHS.

Resposta – Ceça Ribeiro (PSB) respondeu ontem à cúpula do PV que não aceita se filiar a esse partido, para disputar vaga no Senado, porque ele tem comando único. Seu presidente nacional, José Luiz Penna, é vereador em SP e ligado a Serra e a Kassab (DEM).

Ofensiva – Após tomar as prefeituras de Ipojuca e Garanhuns das mãos do PMDB, a Frente Popular está de olho agora em Abreu e Lima (Flávio Gadelha), Gravatá (Ozano Brito), Carpina (Manoel Botafogo), São Bento (Pe. Aldo) e Lagoa Grande (Rose Garziera).

Prevenção – Santa Cruz do Capibaribe é exemplo de prefeitura que entrou na luta contra a criminalidade com resultados bastante satisfatórios. Sua Secretaria Municipal de Defesa Social, comandada pelo tenente-coronel PM Otávio Vareda, desenvolve o programa “Ronda Escolar” pelo qual tem conseguido afastar centenas de jovens da rota do crime, especialmente do consumo de drogas.
 
Medo – O pavor dos partidos grandes assusta até mesmo líderes políticos calejados da área metropolitana que pretendem disputar mandato em 2010. Caso do ex-deputado André Luís Farias, o “Alf”. Ele se desligou ontem do PDT e se filiou ao PRP para tentar voltar à Assembleia Legislativa.

Prova – Em relação à de José Múcio (PE), na semana passada, a sabatina de José Dias Toffoli, ontem, na CCJ do Senado, para o cargo de ministro do STF, foi muito mais dura. Os únicos três votos contrários teriam sido de José Agripino (DEM-RN), Álvaro Dias (PSDB-PR) e Marconi Perillo (PSDB-GO).