0

Marina dispersa o que Eduardo juntou

Coluna Fogo Cruzado – 22 de agosto

Por suas posições inflexíveis, Marina começa a perder lideranças que Eduardo Campos havia conquistado

Pode-se definir Marina de várias formas como ex-ministra do Meio Ambiente e agora candidata do PSB à Presidência da República. Uns a consideram “coerente” por ter decidido não subir em palanque com os tucanos de São Paulo, do Paraná e de Santa Catarina, cujas alianças com o PSB foram articuladas por Eduardo Campos. E outros a chamam de “fundamentalista” por não compreender que só se governa um país complexo como o nosso unindo forças políticas e sociais de vários credos. Aliás, em sua última entrevista ao Jornal Nacional, Eduardo Campos defendeu a união dos brasileiros para tirar o país da crise em que se encontra. Marina não se flexibilizou em relação às alianças e começa a perder apoios no país inteiro. Votariam em Eduardo mas não votarão nela o DEM pernambucano, o candidato do PMDB ao governo de Mato Grosso do Sul, Nélson Trad Filho e talvez o PSL do ex-deputado Luciano Bivar.

Eleição nacionalizada

Com a entrada de Marina na chapa presidencial do PSB, a eleição de Pernambuco tende a ser “nacionalizada”. De um lado, Eduardo Campos na televisão pedindo votos para Paulo Câmara (PSB) e, do outro, o ex-presidente Lula e a presidente Dilma (PT) pedindo votos para Armando Monteiro (PTB). Nas pesquisas anteriores a 13/8, data da morte do ex-governador, ele estava tecnicamente empatado com a petista, que deverá disputar o 2º turno com Marina ou Aécio.

Expulsão – A primeira liderança que Marina expulsou do palanque do PSB foi o deputado Ronaldo Caiado (GO), um dos porta-vozes do agronegócio na Câmara Federal. Caiado hoje lidera as pesquisas como candidato à vaga do Senado, ao passo que o candidato do PSB ao governo de Goiás, o também “agronegocista” Vanderlan Cardoso, está na terceira colocação.

Recurso – O vereador Demóstenes Veras (PROS) está em campanha para deputado estadual, em Caruaru, mas sua candidatura está sub judice. O partido não o incluiu na lista e ele recorreu.

Mudança – Antes da morte de Eduardo Campos, o deputado Claudiano Filho (PSDB) dizia na Assembleia que Dilma e Armando Monteiro ganhariam fácil no Agreste. Hoje diz o contrário.

Comitê – Edilson Silva, presidente regional do PSOL e candidato a deputado estadual, marcou para amanhã, no Recife, a inauguração do seu comitê (Rua de Santa Cruz, 190). Às 15h.

Precaução – Dos políticos de Pernambuco da fase “pós 64”, o único que sempre trabalhou com o “imponderável” foi Joaquim Francisco (foto). Nas reuniões que fazia como prefeito do Recife ou governador, ele geralmente dizia: “Agora vamos raciocinar também com o imponderável”.

Cabrito – Numa das primeiras visitas que fez a Cabrobó, ainda como presidente da República, Lula pediu ao então prefeito, Eudes Caldas (PTB), para jantar cabrito assado. Dilma esteve lá na tarde de ontem, mas almoçou em Floresta um cardápio “não sertanejo”. Não sabe o que perdeu.

Crise – Do ex-prefeito de Tuparetama, Sávio Torres (PTB), sobre a influência dos prefeitos na eleição de governador: “Hoje, devido à crise financeira dos municípios, é muito melhor fazer campanha na oposição do que na companhia de certos prefeitos que não podem sequer sair às ruas”. Torres é um dos coordenadores da campanha de Armando Monteiro (PTB) no Sertão do Pajeú.

Inflação – Há sete fortes candidatos em Paulista disputando os votos dos seus 205 mil eleitores para a Assembleia Legislativa: Sérgio Leite (PT), Yves Ribeiro (PSB), Severino Ramos (PMN), Nena Cabral (PTB), Edmilson do Pagode (PTB) e Francismar Pontes (PSB). De todos, o único que não tem raízes no município é Francismar, o candidato do prefeito Júnior Matuto (PSB) por ordem do PSB.

0

Ministro do TSE restabelece mandato do prefeito cassado do Brejo da Madre de Deus

anteprojeto do novo Código Comercial

O ministro João Otávio de Noronha (TSE) restabeleceu desde o último dia 1º, em decisão monocrática, os mandatos do prefeito cassado do Brejo da Madre de Deus, José Édson de Souza (PTB) e de sua vice Clarice Corrêa (PP), determinando que o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco cumprisse imediatamente a decisão.

O prefeito foi eleito em 2012 e cassado em 2013 por suposto abuso de poder político e econômico denunciado na ocasião pelo então candidato da oposição, Roberto Asfora (PSDB). O retorno ao cargo aconteceu na manhã desta quinta-feira (21).

Após a cassação de Édson de Souza pela Justiça Eleitoral, foi realizada uma eleição suplementar no município, tendo saído vencedor o candidato Roberto Asfora (PSDB) com mais de mil votos de vantagem sobre o seu adversário, Hilário Paulo (PSDC), atual presidente da Câmara Municipal.

Inconformados com a cassação, Édson de Souza e Clarice Corrêa ajuizaram um Recurso Especial no TSE pedindo que fosse declarada improcedente a Ação de Investigação Eleitoral Judicial que originou o processo, afastando, por conseguinte, a punição que lhes havia sido imposta.

O ministro relator deu provimento ao pedido, tornando sem efeito a cassação. No entanto, como a juíza eleitoral do Brejo não lhes deu posse de imediato, a dupla foi novamente ao TSE pedindo o cumprimento da decisão, ainda que caiba recurso por parte do prefeito Roberto Asfora (PSDB), o qual não tem efeito suspensivo.

Segundo o ministro, a dupla alegou que o fato de já ter havido novas eleições no Brejo “é irrelevante, pois, com a improcedência dos pedidos formulados na Ação de Investigação Judicial Eleitoral, a causa de anulação do pleito originário não mais subsiste”.

Em seu despacho, O ministro do TSE escreveu: “Do exame dos autos (…) verifica-se que a decisão monocrática por mim proferida no Recurso Especial nº 134-33/PE não foi cumprida até o momento, a despeito da determinação de imediata comunicação ao TRE/PE para a adoção das providências necessárias”.

“Ante o exposto, defiro a liminar para determinar o imediato cumprimento da decisão monocrática prolatada (no citado Recurso), reconduzindo-se José Edson de Sousa e Clarice Correa de Oliveira Teixeira aos cargos de prefeito e vice-prefeito do Município de Brejo da Madre de Deus/PE. Comunique-se, com urgência, ao TRE/PE, observando-se o prazo de 5 (cinco) dias, nos termos do art. 156 do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal”.

Brasília (DF), 14 de agosto de 2014.

MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA
Relator

0

Oito dias após a morte de Eduardo, PSB enfrenta a sua primeira grande crise

Carlos Siqueira - reprodução internet

Uma semana após a morte do seu presidente nacional, Eduardo Campos, o PSB nacional enfrenta a sua primeira grande crise.

Chateado porque a nova candidata à Presidência da República, Marina Silva, convidou o deputado Walter Feldman (PSB-SP) para dividir com ele a coordenação geral da campanha, o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, deixou a coordenação e saiu atirando.

“Ela (Marina) não representa o legado de Eduardo Campos. Ela é hospedeira do PSB. E pode mandar na Rede dela mas no PSB mandamos nós. Essa não é a forma de proceder com um partido que lhe deu a legenda para disputar a Presidência da República”, Carlos Siqueira.

Feldman procurar amenizar a crise interna do PSB com essas palavras: “A coordenação da campanha será sempre formada por PSB e Rede, juntos. Se for o Siqueira, é o ideal; se não for, então que assuma outro. Mas o que todo mundo quer é reverter essa situação”.

Siqueira, que era ligadíssimo a Eduardo Campos, disse não ter mais interesse em continuar na coordenação da campanha. Também não engoliu o fato de Marina ter indicado o braço direito da Rede, Basileu Margarido, para chefiar as finanças da campanha.

“Eu não estou deixando (a campanha de Marina) porque eu não estava nela. Eu estava na campanha do Eduardo Campos. Nesta eu sempre estive. Agora é uma nova fase e tem que ter uma nova coordenação. Eu disse claramente a ela (Marina) que não ficaria mais na coordenação”, disse o secretário-geral do PSB.

Marina Silva, ao saber da posição de Carlos Siqueira, classificou-a de “mal- entendido”.

“Eu disse que os coordenadores que o PSB escolheu seriam mantidos porque eu não iria interferir nessa questão. Estamos diante de uma situação que tem um mal-entendido e que o próprio PSB deve esclarecer”, afirmou a candidata.

Em Pernambuco, o PSB vive um princípio de desagregação após a morte de Eduardo Campos que tende a se agravar se o candidato Paulo Câmara não reagir nas próximas pesquisas de opinião.

0

Bivar afirma não saber o que Marina Silva pensa sobre o Brasil

Luciano Bivar - reprodução internet-supersportes

O presidente nacional do PSL, ex-deputado Luciano Bivar, admitiu nesta quinta-feira (21) que poderá retirar o seu partido da coligação “Unidos pelo Brasil” que apoia a ex-senadora Marina Silva para presidente da República.

Além de não saber o que Marina pensa sobre o Brasil, Bivar ficou chateado por não ter sido consultado previamente sobre a indicação do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) para a vaga de vice.

Para tentar segurá-lo na aliança, foi marcada uma reunião nesta sexta-feira, em Brasília, a partir das 11h, com o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral.

“Meu contato na coligação era com o Eduardo Campos. Agora, sem ele, ficamos sem diálogo”, disse Bivar na última terça-feira (19).

“Eu não sei o que ela (Marina) pensa sobre o Brasil. Sei o que Aécio pensa, sei o que Dilma Rousseff pensa. Por isso, quero ter com ela uma conversa olho no olho para conhecer suas ideias”, afirmou o ex-deputado.

Caso o PSL saia da coligação, a coligação de Marina perderá o apoio de 780 vereadores, 36 prefeitos e entre seis e oito segundos de televisão.

Em Pernambuco, contudo, segundo Bivar, o PSL manterá o seu apoio ao candidato Paulo Câmara (PSB).

0

Prefeito de Ipojuca dará ordem de serviço para pavimentar 15 km de ruas

carlos santana - divulgação

Diferentemente da grande maioria dos prefeitos de Pernambuco, que enfrentam uma grave crise financeira em decorrência da queda do FPM, o de Ipojuca, Carlos Santana (PSDB), não tem esse tipo de problema devido à grande receita do seu município.

Nesta sexta-feira, Santana dará a ordem de serviço para pavimentação de 58 ruas, totalizando 15 km.

Além da sede, todos os distritos serão beneficiados: Camela, Porto de Galinhas, Serrambi e Nossa Senhora do Ó.

Todas as ruas irão receber, além do pavimento asfáltico, serviços de drenagem e faixas para pessoas com deficiência.

Serão investidos na execução das obras cerca de R$ 14 milhões e a previsão é que todas elas sejam concluídas ainda este ano.

0

Paulo Câmara voltará à Mata Sul nesta sexta-feira

210814 - foto reprodução tv globo

O candidato da Frente Popular ao Governo do Estado, Paulo Câmara (PSB), voltará nesta sexta-feira à região da Mata Sul duas semanas após ter estado lá em companhia de Eduardo Campos.

Ele visitará quatro municípios, sendo Palmares o primeiro deles. O candidato fará uma visita de solidariedade à família do empresário Astrogildo Wanderley, falecido nesta quarta-feira (20) e depois se encontrará com o ex-prefeito Francisco de Assis Rodrigues, o Chiquinho, que foi visitado há duas semanas pelo candidato Armando Monteiro (PTB) e a vereadora dissidente Marília Arraes (PSB).

Às 10h, Paulo Câmara vai se encontrar com o Pastor Heleno, na Assembleia de Deus, e depois concederá uma entrevista à Rádio Cultura.

Às 14h, o candidato participará de um encontro com sacerdotes da Igreja Católica, promovido pelo Padre Bráulio, na Igreja Matriz e às 15h30 se reúne com representantes da Associação Comercial.

De lá, sairá em caminhada pelo comércio local antes de seguir para Água Preta (17h), Xexéu (18h30) e Joaquim Nabuco (20h).

Antes de viajar à Mata Sul, Paulo Câmara estará no Cabo de Santo Agostinho, às 8h, para conhecer uma unidade do Programa Atitude. A iniciativa, coordenada pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, proporciona atendimento aos usuários de crack, álcool e outras drogas.

Já o candidato do PTB ao Governo do Estado, senador Armando Monteiro (PTB), cumprirá nesta sexta-feira a seguinte agenda:

6h30 – Visita à estação central de metrô
Local: Rua Floriano Peixoto, s/n, São José (Próximo à Casa da Cultura), Recife/PE
9h – Despachos internos no escritório político
12h – Almoço com Sindicombustíveis
Local: Restaurante Adega (Clube Português) – Av. Rosa e Silva, 172, Graças – Recife/PE
18h30 – Entrevista ao NETV 2ª Edição
Local: Rede Globo – Morro do Peludo, s/n – Ouro Preto – Olinda/PE.
19h30 – Entrevista ao portal G1
Local: Rede Globo – Morro do Peludo, s/n – Ouro Preto – Olinda/PE

Armando será o segundo candidato a ser entrevistado, ao vivo, nos estúdios da TV Globo. O primeiro foi Paulo Câmara (PSB) na noite desta quinta-feira.

0

Prefeitura de Caruaru passará a pagar o piso aos agentes comunitários de saúde

josé queiroz - divulgação

O prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), enviou nesta quinta-feira (21) à Câmara Municipal o projeto de lei que torna obrigatório o pagamento do piso nacional salarial a 744 agentes comunitários de saúde e de endemias.

Hoje, esses agentes recebem da prefeitura o salário de R$ 871,00 e R$ 750,00, respectivamente. Após a aprovação do projeto, todos passarão a receber R$ 1.014,00 que foi o piso aprovado no primeiro semestre pelo Congresso Nacional.

A assinatura do projeto aconteceu no Teatro João Lyra e contou com a presença de cerca de 500 servidores municipais.

Também prestigiaram a solenidade o vice-prefeito Jorge Gomes, a secretária municipal de Saúde, Aparecida Souza, o presidente da Câmara, Leonardo Chaves e a sindicalista Ana Régia, que representa a categoria.

Queiroz lembrou que no seu governo os agentes de saúde e de endemias já foram beneficiados com um Plano de Cargos e Carreiras, a efetivação nos cargos e o recebimento de novo fardamento.

Segundo o prefeito, a assinatura do projeto iria acontecer na semana passada, mas teve que ser adiado devido à morte trágica do ex-governador Eduardo Campos.

0

Armando e João Paulo tomam café com empresários de TI

210814 - foto Társio Alves

Os candidatos da oposição ao Governo do Estado e a senador, Armando Monteiro Neto (PTB) e João Paulo (PT), respectivamente, tomaram café nesta quinta-feira (21) com empresários do setor de Tecnologia da Informação.

O encontro aconteceu na sede da empresa Provider, no bairro de Santo Amaro, uma das que mais empregam no Estado de Pernambuco.

Na ocasião, João Paulo lembrou que em sua gestão como prefeito do Recife sancionou uma lei que reduziu o ISS de empresas de TI do bairro do Recife de 5% para 2%.

Após o café da manhã, os dois candidatos participaram de uma sabatina no Porto Digital, um dos mais beneficiados com a redução do ISS.

0

Deputado Mendonça Filho adere à candidatura de Aécio Neves

Mendonça Filho - foto agência brasil

Com a morte de Eduardo Campos, o deputado federal e presidente do DEM em Pernambuco, Mendonça Filho, anunciou nesta quinta-feira, por meio de nota, que não votará em Marina Silva (PSB) para presidente da República e sim no senador Aécio Neves (PSDB).

Ele avaliou que não haveria espaço para o DEM na coligação do PSB porque Marina Silva não aceita sequer aliança política com o PSDB. E divulgou a seguinte nota:

I) Como é de conhecimento público, o Democratas tem uma posição histórica de aliança com o PSDB e há 12 anos está no campo da oposição ao PT nacional.

II) Nos últimos meses, o cenário político brasileiro viveu mudanças com o reposicionamento do ex-governador Eduardo Campos (PSB), colocando-se como uma alternativa ao PT nacional e consolidando-se como uma terceira via.

III) Na construção de sua candidatura a presidente, Eduardo Campos alargou os entendimentos políticos e construiu em Pernambuco uma unidade em torno do seu nome. A sua candidatura representava o sentimento de pernambucanidade e a ampliação para o plano nacional de um projeto de gestão bem sucedido no Estado.

IV) Essa unidade em torno da candidatura de Eduardo Campos mobilizou diversos setores da sociedade e figuras de expressão política.

V) Nacionalmente, porém, o Democratas resolveu continuar sua aliança com o PSDB, decidindo pelo apoio à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB).

VI) No entanto, o partido deixou livre o Democratas de Pernambuco para optar pela candidatura de Eduardo Campos ou a de Aécio Neves, tendo em vista a situação especial vivida no Estado e o fato de as duas candidaturas representarem projetos de mudança do grupo de partidos, liderado pelo PT, que vem dirigindo o País há quase 12 anos.

VII) Tendo em vista a tragédia ocorrida na semana passada, na qual o ex-governador Eduardo Campos faleceu em acidente de avião, o Democratas de Pernambuco torna pública a posição de apoiar a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) para a presidência da República, acompanhando a decisão da Executiva Nacional.

VIII) Com relação à eleição estadual, o Democratas reafirma o apoio às candidaturas de Paulo Câmara para governador, de Raul Henry para vice-governador e Fernando Bezerra Coelho para senador, respeitando as circunstâncias individuais de nossos filiados.

0

Ato das centrais sindicais sobre a tortura será nesta sexta-feira

Pedro Dallari - Foto Marcos Santos-USP Imagens

Será nesta sexta-feira (22/08), no Recife, o ato público que as Centrais Sindicais irão realizar, em parceria com a Comissão Estadual da Verdade, sobre os casos de tortura praticados contra trabalhadores durante o regime militar.

O ato será realizado no auditório do Sindicato dos Bancários, na Avenida Manoel Borba, no bairro da Boa Vista, das 9h às 13h.

O evento já vem acontecendo em outros estados por iniciativa da Comissão Nacional, que tem como coordenador o advogado Pedro Dallari.

Para o diretor da CUT, Expedito Solaney, o objetivo deste evento é resgatar a memória histórica do que ditadura militar fez no Brasil na repressão aos trabalhadores.

Pernambuco teve diversos sindicalistas perseguidos pela ditadura, entre os quais o ex-deputado Cláudio Braga, hoje morando no Uruguai, que foi presidente do Sindicato dos Ferroviários.

Durante o encontro desta sexta-feira, haverá um debate sobre o relatório que a Comissão Nacional da Verdade irá divulgar em dezembro deste ano.