Quem fará por Mendonça o que Júnior Matuto fez?

Coluna Fogo Cruzado – 18 de setembro de 2018

Lula Cabral e Júnior Matuto, ambos do PSB, não estão apoiando o senador Humberto Costa

A assessoria de Mendonça Filho calcula que 70 prefeitos da Frente Popular o estão apoiando para senador, porém essas contas devem ser vistas com reservas. O apoio da maioria deles é apenas da boca para fora, pois nada fizeram até agora para traduzir esse apoio em votos. Um desses prefeitos é o de São José do Egito, Evandro Valadares, filiado ao PSB. Dia 27 do mês passado, ele e outros 13 prefeitos da Frente Popular almoçaram com Mendonça, no Recife, a pretexto de declarar-lhe apoio. Muito bem. Sábado passado, ele recebeu em sua cidade o governador Paulo Câmara e seus candidatos a senador Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa. Reuniu seus aliados num clube e se deixou fotografar com a chapa completa. Dia seguinte, após a divulgação de que havia abandonado Mendonça, ele gravou um vídeo declarando apoio “ao meu amigo particular Mendonça Filho”. Dá para acreditar em políticos assim? Apoio de verdade é o do prefeito do Cabo, Lula Cabral (PSB), a Bruno Araújo e a Jarbas Vasconcelos. Lula fez domingo uma carreata gigante e avisou previamente à Frente Popular: “Não tragam o senador Humberto Costa”. O mesmo fez o prefeito de Paulista, Júnior Matuto, sexta-feira da semana passada. Ele reuniu cerca de 500 pessoas no Hotel Amoaras (entre secretários, secretários adjuntos, diretores de empresas, vereadores e suplentes) para apresentar Mendonça como um de seus candidatos (o outro é Jarbas). E, num inflamado discurso, declarou: “Esta aqui é a minha tropa, Mendonça! E quem não estiver com você não está comigo”. Mendonça, às lágrimas, agradeceu o apoio com essas palavras: “Júnior, você sempre foi um cara muito correto comigo. Uma coisa é ter apoio, outra é vestir a camisa como você está fazendo. Nunca vou esquecer o seu gesto”. Como Valadares existem muitos, e como Matuto há muito poucos. E o próprio Mendonça deve saber disto.

Segunda tentativa

Fernando Monteiro (PP) candidatou-se a deputado federal em 2014, ficou na 2ª suplência mas assumiu devido à convocação de 4 deputados para o secretariado de Paulo Câmara. Agora, tem o apoio de prefeitos que não tinha: Botafogo (Carpina), Humberto Mendes (Santa Maria da Boa Vista), Chico Siqueira (Ipubi), Arquimedes Valença (Buíque), Rafael Cavalcanti (Afrânio) e Tato (Itamaracá).

O trato – Bruno Pereira (PTB), prefeito de São Lourenço, vai votar em Guilherme Uchoa Júnior (PSC) para deputado estadual. O compromisso era com o pai mas devido à morte dele no último mês de julho resolveu votar no filho. O federal é do seu partido: Zeca Cavalcanti.

A arrancada – Candidata a deputada estadual pelo PP, a vereadora Aline Mariano acha que consolidou sua vitória após o apoio do prefeito de sua terra (Afogados da Ingazeira), José Patriota (PSB), que é também presidente da Amupe, que leva consigo 9 dos 11 vereadores.

Adesão – Impedido de disputar o governo estadual pelo PRP, o coronel Luiz Meira fará amanhã um almoço adesão a sua candidatura de deputado federal no Spettus do Derby. À noite, o advogado Antônio Campos (Podemos) fará um jantar de adesão no Manny Deck Bar (Olinda).

A batalha – Paulo Câmara (PSB) e Armando Monteiro (PTB) estão cientes de que a batalha pelo governo estadual será travada na RMR, que tem 3 milhões de eleitores. O governador insistirá na tese da “continuidade” e o senador no “se você não mudar, fica tudo como está”.

Alie-se! – Vera Magalhães, comentarista da Rádio Jovem Pan (SP), inclui Jarbas Vasconcelos (MDB) na categoria dos políticos que seguem esta máxima: “Quando você não pode vencer um adversário, junte-se a ele!”. Jarbas aliou-se a Eduardo Campos em 2014, e a Lula em 2018.