0

As várias opiniões de Lula sobre Dilma

Coluna Fogo Cruzado – 4 de julho

O ex-presidente Lula manifestou opiniões divergentes nos últimos 20 dias sobre Dilma, o PT e a crise econômica

O ex-presidente Lula não tem se pautado pela coerência quando analisa a crise econômica e a impopularidade de Dilma. Num encontro com religiosos em São Paulo, ele reconheceu que a popularidade dele e da atual presidente chegou ao “volume morto” e a do PT bem abaixo disso.

Depois, num seminário com Felipe Gonzalez, ex-premier espanhol, disse que o PT “só pensa em cargos” e na reeleição dos seus parlamentares. E logo em seguida, num encontro com a bancada no Congresso, ponderou que a presidente deveria liderar uma corrente de “otimismo” no país, para afastar o fantasma da crise, e teve suas palavras repetidas no Senado pelo líder Humberto Costa. Já ontem, num evento da Federação Única dos Petroleiros, no interior de São Paulo, o ex-presidente externou outro pensamento sobre ela. Disse que nessa hora de crise Dilma sabe muito bem que tem que “encostar a cabeça no ombro do povo e conversar com ele”.

É negócio criar partido

O economista Maurício Romão explicou ontem num debate de rádio por que é “negócio” criar partido político no Brasil. O fundo partidário para este ano, disse ele, gira em torno de R$ 800 milhões, dos quais 5% são divididos equitativamente com as 33 legendas e os outros 95% pelo tamanho das bancadas. Quarenta milhões, portanto, serão rateados com os 33 partidos, o que dá em média R$ 1,2 milhão/ano para os que não têm representação no Congresso (100 mil/mês).

Mudança – Os irmãos Ciro e Cid Gomes, que deixaram o PSB em 2013 por discordância com a candidatura de Eduardo Campos à presidência da República, podem trocar de partido mais uma vez. Eles estão conversando com o PDT porque estão desconfortáveis no PROS. Ciro já passou pelo PDS, PMDB, PSDB, PPS, PSB e PROS. E agora está na iminência de virar brizolista.

Tercius – Cresce a chance de Jorge Gomes (PSB) de ser indicado por José Queiroz (PDT) como candidato à sua sucessão, em Caruaru, depois do veto de Wolney Queiroz a Raquel Lyra (PSB).

Senado – Ainda faltam 3 anos e meio para as eleições de 2018 mas as duas vagas do Senado já estariam sendo miradas por Antônio Figueira, João Lyra, Jarbas Vasconcelos e Danilo Cabral.

Retorno – Apesar da discordância da família, o ex-prefeito de Vitória, José Aglaílson (PSB), já circula pelas ruas da cidade como pré-candidato à sucessão do prefeito Elias Lira (PSD).

Promessa – O prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, está acreditando na promessa do Dnit de abrir licitação em outubro próximo para contratação da empresa encarregada de elaborar o projeto da duplicação da BR-423 (Garanhuns-São Caetano). Essa duplicação teve tudo para ser feita no governo de Lula, que é de lá. Mas hoje tá difícil.

Espaço – O PSDB fará amanhã a sua convenção nacional e o ex-deputado (arengueiro) José Aníbal (SP) foi indicado por Geraldo Alckmin para presidir o Instituto Teotônio Vilela. Na convenção anterior o senador José Serra fez de tudo para ficar na presidência do ITV, mas Aécio Neves o vetou e entregou o cargo a Sérgio Guerra (PE).

Cobrança – Dada a proximidade das eleições, o ministro Armando Monteiro começou a ser cobrado pelos seus liderados de Pernambuco para fortalecer o PTB no interior do Estado. Ele jantou em Washington na última terça-feira com os presidentes Barak Obama e Dilma Rousseff. E ontem, no Recife, obrigou-se a participar de uma reunião com deputados estaduais e federais da bancada petebista. E deve ter notado a diferença.

Ordem – Por recomendação da presidente nacional Telma Ribeiro, o PMN vai lançar candidato a prefeito em todas as cidades brasileiras com mais de 200 mil eleitores. De Pernambuco estão no mapa Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Paulista, Caruaru e Petrolina. O partido sabe que a luta é difícil mas com 3% ou 4% dos votos que porventura obtiver será chamado para sentar à mesa do segundo turno com um dos finalistas.

0

Justiça indefere habeas corpus preventivo para José Dirceu

José Dirceu - Foto Victor Soares- hor-ABr

Por meio do juiz convocado Nivaldo Brunoni, o Tribunal Regional da 4ª Região (Porto Alegre) indeferiu nesta sexta-feira (3) o pedido de habeas corpus preventivo em favor do ex-ministro José Dirceu, que seria um dos próximos políticos a serem presos pela Operação Lava Jato.

O juiz está substituindo o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, que se encontra em gozo de férias.

Ele afirma em seu despacho que “o mero receio da defesa” de que o ex-ministro possa vir a ser preso “não comporta a intervenção judicial preventiva”.

Em delação premiada, o lobista Milton Pascowitch acusou o ex-ministro de ter-se beneficiado através de contratos de consultoria do esquema de corrupção que existia na Petrobras.

“As considerações da defesa assumem natureza eminentemente teórica, sendo inviável antecipar eventuais fundamentos invocados pelo juiz Sérgio Moro para a decretação da segregação cautelar, se isto de fato ocorrer”, diz o magistrado em seu despacho.

Ele disse também que não cabe ao Tribunal antecipar-se ao juiz Sérgio Moro, decidindo, em tese, se a situação do ex-ministro comporta ou não o habeas corpus preventivo.

Os advogados do ex-ministro entendem que ele está na iminência de sofrer “constrangimento ilegal” e por isso solicitaram à Justiça a custódia preventiva.

No seu depoimento, Pascowitch afirmou que o ex-ministro recebeu propina da Engevix para que a empresa mantivesse contratos com a Petrobras, fato que ele negou por meio de nota no seu Blog.

O advogado do ex-ministro, Roberto Podval, alegou que o presidente do conselho de administração da Engevix, Cristiano Kok, já teve oportunidade de esclarecer que contratou José Dirceu para prestar consultoria no exterior e que o contrato nada a ver com a Petrobras.

“O ex-vice-presidente da Engevix, Gerson Almada, que também assinou acordo de delação premiada, confirmou à Justiça a contratação dos serviços do ex-ministro no exterior e foi claro ao afirmar que nunca conversou com ele sobre contratos da Petrobras ou doações ao PT”, afirmou Roberto Podval.

Por sua vez, em palestra nesta sexta-feira, em São Paulo, num congresso de Jornalismo Investigativo, o juiz da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, negou que seu objetivo dela seja prender Lula.

0

Lula aconselha Dilma “encostar a cabeça no ombro do povo e conversar com ele”

Lula _ 1 Foto Ricardo Stuckert-Instituto Lula

O ex-presidente Lula afirmou nesta sexta-feira (3) em Guararema (SP), onde participou da 5ª plenária da Federação Única dos Petroleiros, que 2015 será um ano difícil para o Brasil mas com a mobilização de todos é possível superar as dificuldades.

Segundo ele, a presidente Dilma Rousseff e os seus ministros precisam viajar mais pelo Brasil e conversar com a população para explicar os objetivos do ajuste fiscal que foi proposto por ela ao Congresso.

“Ela (Dilma) conviveu comigo durante muito tempo e sabe que nas horas difíceis não há alternativa a não ser encostar a cabeça no ombro do povo e conversar com ele”, disse o ex-presidente.

Ele disse que também fez um ajuste fiscal em 2003 (primeiro ano do seu primeiro governo) exatamente como a presidente Dilma está fazendo no curso deste ano.

“Muitos me xingaram por isso, mas um ano e meio depois colhemos os frutos e demos um ‘tchau’ ao FMI”, acrescentou, lembrando que elevou o superávit primário para 4,25% do PIB, “justo eu que sempre lutei contra este superávit”.

0

Geraldo Júlio conclui apenas 9% das obras prometidas, diz Priscila Krause

Priscila Krause - divulgação

Por meio de monitoramento próprio, a deputada Priscila Krause (DEM) constatou que até o fim de junho deste ano o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), concluiu apenas 9% das 302 obras prometidas à população em sua campanha eleitoral.

O levantamento constatou também que 8% das obras estão em andamento, que 17% estão em dia e que 83% estão fora do prazo: 15% estão atrasadas, 10% paradas e 58% sequer foram iniciadas.

Dividido em 24 áreas temáticas, o site “Monitora Recife” aponta que as áreas de Turismo e LGBT são as mais avançadas com 35% e 75% de ações em dia, respectivamente, enquanto a Educação tem 10% das ações sendo cumpridas e a Saúde 12%. Na área de Habitação, segundo o site, não há nenhuma ação documentada.

Estão atrasadas, entre outras, a construção do Hospital da Mulher, a reforma do Geraldão e a ativação da Rádio Frei Caneca. E das cinco unidades do Compaz (Centro Comunitário da Paz) que foram prometidas, duas estão atrasadas (Bongi e Alto de Santa Terezinha) e três sequer saíram do papel.

Na área da Saúde, diz o site, das seis UPAs-E anunciadas, uma está atrasada e as outras cinco não foram iniciadas. E das 20 “Upinhas 24h” prometidas na campanha, apenas três foram inauguradas. Já na área de Educação, das 42 creches prometidas foram entregues apenas quatro.

0

Bruno Araújo tem nome confirmado para a direção nacional do PSDB

Bruno Araújo - reprodução Facebook

O PSDB fará neste domingo (5), em Brasília (Centro de Convenções do Hotel Royal Tulip), a sua convenção nacional com garantia total de unidade entre o senador Aécio Neves (MG) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Os dois chegaram a um acordo sobre a divisão de cargos na executiva, cabendo uma das vice-presidências ao deputado pernambucano Bruno Araújo, indicado pelo senador.

A secção paulista terá três nomes na executiva, todos de absoluta confiança do atual governador, que poderá disputar uma prévia com Aécio Neves para ver qual dos dois encabeçará a chapa nas eleições presidenciais de 2018.

Os nomes ligados a Alckmin são os deputados Eduardo Cury e Sílvio Torres (secretário-geral) e o ex-deputado José Aníbal, que presidirá o Instituto Teotônio Vilela.

Numa articulação de última hora, o ex-governador Alberto Goldman foi escolhido para permanecer numa das vice-presidências por indicação do senador José Serra.

De Pernambuco, uma enorme delegação seguirá para Brasília neste sábado (4) para participar da convenção.

Viajarão, entre outros, os deputados federais Daniel Coelho e Betinho Gomes, os deputados estaduais Antônio Moraes e Claudiano Filho e a ex-deputada Terezinha Nunes.

0

OAB vai ao STF contra o deputado Eduardo Cunha

Marcus Vinicius Furtado Coelho - foto Agência Brasil

O presidente da OAB nacional, Marcus Vinicius Furtado Coelho, anunciou neste final de semana que irá recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra a aprovação da PEC, aprovada na Câmara Federal, que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos.

Segundo ele, além de a maioridade a partir dos 18 anos ser “cláusula pétrea” da Constituição o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), colocou em votação o mesmo projeto que havia sido rejeitado no dia anterior.

Deputados do PT, PSOL e PCdoB também questionam a conduta do presidente da Câmara e prometem entrar com mandado de segurança no STF pedido a anulação da votação.

Um deles é o petista Alessando Molon (RJ), para quem o presidente tem usado regularmente as chamadas “emendas aglutinativas” para pôr e votação projetos de seu interesse que já haviam sido rejeitados.

“O presidente diz que o Regimento permite esse expediente em relação às (emendas) aglutinativas. Mas fazer e refazer emendas até que o texto seja aprovado, como ele quer, a Constituição não permite. A lógica do artigo 60 da Constituição é limitar o poder de agenda que o presidente tem.

Ele tem o poder de pautas, mas não de decidir o que será aprovado. Vamos mostrar ao Supremo que esse comportamento do presidente, de refazer as votações que perde até conseguir ser vitorioso, é uma ameaça, uma afronta à democracia. Mostrar que o alerta que fizemos está se tornando um hábito”, disse Molon ao jornal “O Globo”.

0

Dezessete deputados mudaram o voto sobre a redução da maioridade

Daniel Coelho - foto divulgação PSDB

Dezessete deputados federais mudaram o voto na segunda votação da PEC que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos.

Um desses deputados foi Kaio Maniçoba (PHS), o único da bancada pernambucana. O restante manteve na segunda votação, que ocorreu na última quinta-feira, o mesmo voto que deu na primeira, um dia antes.

Dos 25 membros da bancada, 15 votaram a favor da redução e 10 votaram contra. O deputado Daniel Coelho (PSDB) votou a favor da redução, seguindo orientação do seu partido, e tem sido bastante cobrado por seus jovens eleitores por meio das redes sociais.

A cobrança se deve ao fato de o tucano já ter tido seu nome colocado para disputar a prefeitura do Recife no próximo ano. Como ele tem grande inserção na juventude, foi o alvo principal das cobranças, que não aconteceram em relação aos outros 14 parlamentares.

Na madrugada da última quarta-feira (1º), quando o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pôs em votação o substitutivo do deputado Laerte Bessa (PR-DF), prevendo a redução da maioridade apenas para crimes hediondos, Kaio Maniçoba votou contra o projeto.

Na madrugada da quinta (2), porém, quando entrou em pauta o projeto original (PEC 171/93) prevendo a redução para crimes hediondos, mas tirando do “pacote” o tráfico de drogas e outros crimes menos graves, Kaio votou a favor, sendo o único dos 25 parlamentares da bancada pernambucano a mudar o voto no espaço de apenas 24h.

Questionado a respeito disto, ele disse que o segundo projeto ficou mais próximo das ideias que defende e por essa razão votou a favor.

No curso da sessão que aprovou o projeto por 323 votos a favor e 155 contra, o deputado Sílvio Costa (PSC) acusou Eduardo Cunha, na tribuna, de ter pressionado deputados de Pernambuco para mudar o nome, mas sem dizer quais.

“Eu não acusei ninguém e quem mudou o voto é que tem que se explicar”, disse Sílvio Costa ao “Diário de Pernambuco”.

0

Marta sinaliza no Recife que vai se filiar ao PSB

A ministra da Cultura, Marta Suplicy

A senadora Marta Suplicy (SP) confirmou no Recife neste final de semana, onde está participando do evento “Diálogo Nacional” promovido pelas Fundações do PSB, PPS e PV, que o seu caminho partidário será o Partido Socialista Brasileiro.

Ele se desligou do PT em abril passado, por divergências com os rumos do partido, e recebeu convite de várias legendas, entre as quais o PSB por meio do vice-governador de São Paulo, Márcio França, do presidente nacional Carlos Siqueira e do senador Fernando Bezerra Coelho (PE).

“Estou conhecendo melhor o partido e estreitando as relações com as lideranças de Pernambuco e posso dizer que estou bem próxima do PSB”, disse a senadora.

Marta deve se filiar ao partido em agosto próximo e nas eleições do próximo ano vai disputar mais uma vez a Prefeitura de São Paulo.

Inconformada com a saída dela do PT, a direção do partido, em São Paulo, reivindicou o mandato dela na Justiça. Mas, um dia depois, o STF decidiu, por unanimidade, examinando um processo de Minas Gerais, que senador, governador, prefeito e Presidente da República não se subordinam às regras da fidelidade partidária.

O evento “Diálogo Nacional” foi realizado no Hotel Golden Tulip, em Boa Viagem, e reuniu toda a cúpula nacional do PSB. O evento já passou pelas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste e só falta passar agora pelo Norte.

0

PDT de Caruaru descarta aliança com o PSB

wolney queiroz -- divulgação

O prefeito de Caruaru, José Queiroz, bem como seu filho e presidente regional do PDT, Wolney Queiroz (PDT), que é deputado federal, deixaram claro neste final de semana que não haverá aliança no município com o ex-governador João Lyra Neto (PSB) para à sucessão municipal.

João Lyra defende a unidade da Frente Popular, mas tanto o prefeito como o deputado descartam essa possibilidade.

Ambos, inclusive, não foram à tradicional “ceia junina” que o ex-governador ofereceu no sítio Macambira, de sua propriedade, em Caruaru, no dia 13 do mês passado, para deixar claro que não haverá aliança com o PSB.

Segundo o deputado, tanto o ex-governador como sua filha, Raquel, deputada estadual pelo PSB e pré-candidata à prefeitura, trabalharam contra a reeleição de seu pai em 2012 e fizeram oposição ao governo dele nos últimos três anos.

De fato, João e Raquel não apoiaram a reeleição do atual prefeito em 2012. Por meio de uma nota paga nos três principais jornais do Recife, expuseram os motivos da divergência e ficaram fora da campanha.

Isso está sendo usado pelo prefeito como pretexto para descartar por antecipação apoio à candidatura de Raquel. Ele admitiria apoiar um nome do PSB, desde que fosse seu vice, Jorge Gomes, que já foi deputado estadual, deputado federal e vice-governador.

Jorge foi candidato a prefeito no ano 2000 com apoio de José Queiroz e de João Lyra Neto, mas foi derrotado por Tony Gel (PMDB).

0

Dorany vai deixar o comando do PMDB e será substituído por Raul Henry

Raul Henry - Foto Agência Câmara

O vice-governador Raul Henry terá o nome confirmado neste final de semana para substituir o advogado e ex-deputado Dorany Sampaio na presidência do PMDB de Pernambuco.

Dorany, que está no cargo há mais de 25 anos, licenciou-se do cargo por problemas de saúde e já comunicou o fato ao deputado Jarbas Vasconcelos. Ele está com quase 90 anos e entende ser chegada a hora de passar o bastão para outro companheiro.

Raul Henry já foi deputado estadual e federal e é pessoa de absoluta confiança do ex-senador, que o prepara há muitos anos para ser seu sucessor na política pernambucana.

Ele já queria assumir o partido na última convenção regional (2013). Mas, devido à resistência do próprio Dorany, abriu mão da candidatura e permaneceu apenas como membro da executiva.

A substituição de Dorany pelo vice-governador deverá ser definida neste final de semana durante reunião de que irão participar Jarbas, o próprio Raul e outros membros do partido, entre eles os deputados estaduais Ricardo Costa e Tony Gel.