0

Lula já está lançado, independente do PT

Coluna Fogo Cruzado – 21 de janeiro

Lula pode se tornar competitivo em 2018 se não for preso, Temer fracassar e Alckmin não for atingido pela Lava Jato

Para tornar mais difícil a prisão de Lula, ou mesmo constranger o juiz Sérgio Moro se este for obrigado a decretá-la, a direção nacional do PT quer antecipar para o mês de abril o lançamento da candidatura dele a presidente da República em 2018. O próprio Lula não demonstra muito entusiasmo por esse projeto. Mas é a única mercadoria de que o Partido dos Trabalhadores dispõe no momento em condições de participar do jogo. Afinal, o PT convive com uma agenda negativa desde o episódio do mensalão (há 10 anos, portanto) e seus principais fundadores como o ex-ministro José Dirceu, por exemplo, ou estão na cadeira ou respondendo a processos na Justiça, como é o caso do próprio Lula. Alas do partido ainda acreditam que o ex-presidente poderá tornar-se um candidato competitivo em 2018, o que é verdade. Mas só se o governo Michel Temer fracassar e o governador Geraldo Alckmin for ferido de morte pela Lava Jato.

A heterodoxia do PCdoB

O deputado Sílvio Costa (PTdoB) criticou asperamente a bancada federal do PCdoB (12 parlamentares), especialmente a pernambucana Luciana Santos, por ter declarado apoio à recondução de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara Federal. Ele disse que a “heterodoxia” dos comunistas levou o partido a opor-se ao impeachment de Dilma, mantendo-se aliado ao PSB que foi a favor.

Testemunha – A “testemunha-bomba” que o advogado Antonio Campos diz ter arrolado para depor no inquérito que apura as circunstâncias da morte do seu irmão, Eduardo, será um divisor de águas. Se apresentar fatos novos, pode mudar o curso das investigações. Se não, consolidará a tese da fatalidade.

Condor – Arraes morreu convencido de que JK, João Goulart e Carlos Lacerda foram assassinados pela “Operação Condor” porque a morte dos três líderes que se opunham ao regime militar deu-se no período de apenas 11 meses.

Pacto – A prefeita Raquel Lyra (PSDB) fez a sua parte ao lançar um programa de segurança para Caruaru, mas sem o envolvimento das Polícias Civil e Militar, ora brigadas com o Governo do Estado, terá o mesmo desfecho do “Pacto pela Vida”.

Socorro! – Ameaçado de expulsão pelo PT de Olinda por não ter apoiado Teresa Leitão para prefeita, e sim Luciana Santos (PCdoB), o ex-vereador Marcelo Santa Cruz denunciou o fato à direção nacional e pediu providências.

Apoio – Governadores têm ficado à margem da disputa eleitoral pela presidência da Câmara dos Deputados. Paulo Câmara (PE), por exemplo, recebeu Rodrigo Maia (DEM-RJ), Rogério Rosso (PSD-DF) e Jovair Arantes (PTB-GO), mas não se comprometeu com nenhum deles. A exceção é Marconi Perillo (PSDB-GO), que se abraçou com este último.

Renovação – Em conflito com a opinião pública desde 2005, o PT já prepara para tentar manter na Câmara Federal em 2018 pelo menos os mesmos 57 deputados que possui hoje, acrescentando nomes como João Paulo, Humberto Costa e Fernando Ferro, todos de Pernambuco. Em termos nacionais, porém, as caras novas serão poucas.

Mutirão – Até que o substituto de Teori Zavascki no STF tome pé de todos os processos da Lava Jato, ficará em segundo plano a recomendação da presidente Carmem Lúcia aos Tribunais de Justiça para que realizem “mutirões” nas Varas de Execuções Penais. O ministro Gilmar Mendes, quando presidia o STF, promoveu um “mutirão” que foi responsável pela soltura de 22 mil presos provisórios. Um deles ficou preso 11 anos, no ES, sem julgamento.

0

Velório de Teori será neste sábado em Porto Alegre

O velório do ministro Teori Zavascki (STF) terá início às 11h da manhã deste sábado (21) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que tem sede em Porto Alegre. Confirmaram presença, entre outras autoridades, o presidente da República, Michel Temer e a presidente do STF, ministra Carmem Lúcia.

O sepultamento será às18h no cemitério Jardim da Paz, na capital gaúcha. Além do ministro, morreram no acidente o empresário Carlos Alberto Filgueiras (dono do Hotel Emiliano), o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk e sua mãe, professora Maria Ilda Panas.

Até esta sexta-feira (20), não se tinha a mínima ideia de quem substituirá o ministro Teori Zavascki na relatoria dos processos da Lava Jato no STF.

Segundo o advogado pernambucano José Paulo Cavalcanti Filho, há duas hipóteses, de acordo com o Regimento Interno do STF. Primeira: o ministro que o substituirá na Corte por indicação do presidente Michel Temer.

Segunda: a atual presidente Carmem Lúcia poderá redistribuir os processos para um dos ministros da Segunda Turma do STF, da qual Teori fazia parte. E a preferência de José Paulo é pelo ministro Gilmar Mendes.

Já a OAB sugere que o substituto de Teori seja escolhido por sorteio dentre os outros 9 ministros da Suprema Corte (a presidente Carmem Lúcia não entra nessa conta).

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta sexta-feira, 20, que, com a morte do ministro Teori Zavascki, a decisão sobre o futuro dos inquéritos da Operação Lava Jato caberá à presidência da Corte. Ele, no entanto, não quis opinar sobre qual seria o melhor caminho a ser tomado pela presidente do STF, Cármen Lúcia, e disse que ainda estava muito abalado com o acidente aéreo que tirou a vida de Teori e outras quatro pessoas na quinta-feira, em Paraty, no Rio de Janeiro.

“Eu nem enterrei o meu amigo ainda. Depois a gente conversa. Eu era muito amigo dele”, disse Toffoli.

0

Governador recebe Jovair mas se manterá neutro na eleição para presidente da Câmara

O governador Paulo Câmara recebeu em audiência nesta sexta-feira (20) o candidato do PTB à presidência da Câmara Federal, deputado Jovair Arantes (GO).

O petebista está em peregrinação pelo país em busca de apoio e na bancada pernambucana já tem certos os votos de quatro colegas: Zeca Cavalcanti, Adalberto Cavalcanti e Jorge Côrte Real (todos do PTB), além de Ricardo Teobaldo (PTN).

Câmara conversou amistosamente com o deputado, no Palácio do Campo das Princesas, mas não lhe prometeu apoio. Até porque a bancada federal do PSB está inclinada a apoiar a reeleição do atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Do Palácio o governador seguiu para Carpina a fim de assistir ao lançamento da pedra fundamental do Shopping Carpina de propriedade do empresário pernambucano Paulo Petribu.

O empreendimento será responsável pela criação de 1,3 mil empregos diretos no município e deverá ser inaugurado no primeiro semestre de 2018.

O vice-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry, que esteve presente ao evento, disse que “esse empreendimento tem um significado muito grande porque não é apenas um shopping, é um conjunto de vários serviços de comércio, lazer e cultura. Com certeza, será um novo e importante plo econômico que vai causar grandes transformações no futuro de Carpina é da Mata Norte do Estado”.

O Shopping Carpina contará com mais de 70 lojas na primeira fase. O espaço vai contemplar três salas de cinema, praça de alimentação, alameda de serviços, área de lazer e games. Com um terreno de 30.000 m² de área construída, o centro comercial receberá um investimento total de R$ 30 milhões da Petribú Empreendimentos para a primeira etapa.

Também participaram da cerimônia o ministro da Educação, Mendonça Filho; os secretários estaduais João Campos (Gabinete) e Antônio Carlos Figueira (Casa Civil); os deputados federais Fernando Monteiro (PP), Tadeu Alencar (PSB) e Marinaldo Rosendo (PSB), os deputados estaduais Vinicius Labanca (PSB), Henrique Queiroz (PR) e Antônio Moraes (PSDB) e o prefeito do município Manoel Botafogo (PDT).

0

Começa na próxima segunda inscrição para o “Chapéu de Palha” da irrigação

Terão início na próxima segunda-feira, dia 23, as inscrições de trabalhadores da fruticultura irrigada do Vale do São Francisco no programa “Chapéu de Palha” do Governo do Estado para este ano de 2017.

Para assinalar o reinício do programa, haverá uma solenidade no Centro de Convenções em Petrolina, a partir das 8h, com as presenças do governador Paulo Câmara, do prefeito Miguel Coelho (PSB) e do secretário de Planejamento e Gestão Márcio Stefanni.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 27/01 nos pólos instalados nos municípios de Belém do São Francisco, Cabrobó, Lagoa Grande, Orocó, Petrolândia, Petrolina e Santa Maria da Boa Vista.

Poderão se inscrever trabalhadores rurais, auxiliares de câmara fria e de casa de embalagem, embaladores ou tratoristas e maiores de 18 anos que tenham trabalhado com registro em carteira pelo período mínimo de 30 dias corridos entre 1º de junho e 31 de dezembro de 2016.

É necessário ser morador de um dos sete municípios contemplados no programa, não sendo aceitos trabalhadores residentes em outras cidades.

Este é o 11º ano consecutivo do programa “Chapéu de Palha” desde que foi reeditado em 2007 pelo então governador Eduardo Campos.

Criado em 1988 pelo então governador Miguel Arraes, o programa era exclusivo para os trabalhadores rurais da cana-de-açúcar.

Em 2009, todavia, ele foi estendido para os trabalhadores rurais da fruticultura irrigada e em 2012 para os pescadores artesanais.

Somando as três modalidades de atendimento (cana, fruta e pesca), o programa beneficiou cerca de 100 mil pessoas nos dois últimos anos.

Nos dias de cadastramento, os trabalhadores precisam levar os originais e cópias dos seguintes documentos: CPF, carteira de identidade, comprovante de residência, número do PIS ou NIS (cartão cidadão ou Bolsa Família), Carteira de Trabalho e contrato de trabalho rescindido.

No ato do cadastro, os participantes receberão o cartão de frequência. Quem já possuir este documento, por ter participado do programa em anos anteriores, deve apresentá-lo no momento do cadastramento.

Para saber mais detalhes sobre os locais de cadastro, os trabalhadores podem ligar para o número 0800.282.5158.

POLO DE CADASTRAMENTO ENDEREÇO
Polo 01 – Centro de Convenções (Petrolina) Av. 31 de Março, S/N, Centro
Polo 02 – Bebedouro – Escola Estadual Antonio Nunes dos Santos (Petrolina) Av. Principal, s/n, N S 01
Polo 03 – Maria Tereza – Escola Municipal José Esmerindo Ribeiro (Petrolina) Av. Principal, S/N, Vila – Km 25
Polo 04 – Agrovila Massangano – Escola Estadual Manoel Messias Barbosa (Petrolina) Av. Principal, S/N
Polo 05 – N-04 – Escola Estadual Manoel Alves Nogueira (Petrolina) Rua B, S/N, Projeto Senador Nilo Coelho
Polo 06 – N-1O – Escola Estadual Poeta Carlos Drummond de Andrade (Petrolina) Av. Principal, S/N, Projeto Senador Nilo Coelho
Polo 07 – Tapera – Escola Félix Manoel dos Santos (Petrolina) Av. Principal, S/N, Estrada da Tapera
Polo 08 – Escola Estadual Santa Maria – Lagoa Grande Rua dos Estudantes, 188 – Centro
Polo 09 – Escola de Referência em Ensino Médio Dom Helder Câmara – Lagoa Grande / Vermelhos Av. Principal, S/N – Vermelhos
Polo 10 – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Belém do São Francisco Av. Cel. Jerônimo Pires, 1124 – Centro
Polo 11 – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santa Maria da Boa Vista Rua Joaquim Nabuco, 229 – Centro
Polo 12 – STR Petrolândia Rua Dantas Barreto, 109 – Centro
Polo 13 – STR Cabrobó Av. Presidente Castelo Branco, 558 – Centro
Polo 14 – STR Orocó Av. Prof. Ulisses Novaes Dione, 56 – Centro

0

Partido Novo começa a preparar-se para as eleições de 2018

Presidido nacionalmente por João Amoedo, o Partido Novo fará um ato político no Recife, dia 7 de fevereiro próximo, visando à sua preparação para as eleições gerais de 2018.

Na mesma data, serão realizados eventos em mais de 40 municípios de 16 estados, além do Distrito Federal. Serão apresentados à militância os valores e princípios do partido, os resultados alcançados em 2016 e a sua proposta para o Brasil com objetivo de estimular pessoas a se candidatarem nas próximas eleições.

“Queremos encontrar cidadãos comprometidos com nossos valores, que nunca pensaram em disputar uma vaga no Legislativo, mas que têm capacidade, conhecimento e, mais do que tudo, vontade de mudar a política brasileira.”, afirmou João Amoedo.

O Partido Novo abrirá inscrições em março por intermédio da internet.“O Brasil demanda novas ideias, novas pessoas e uma nova atitude em relação à política. Precisamos de novos candidatos e de uma maior participação no processo político. E o PN se apresenta como instrumento para esta renovação.”, acrescentou João Amoedo.

De acordo com Charbel Elias Maroun, representante do Partido em Pernambuco, ainda este mês será deflagrada uma campanha de filiação no Estado.

“Agora é a vez de expandir. Na capital pernambucana, até agora, teremos candidatos a deputado estadual, federal e senador, e para governador ainda vamos debater”, acrescentou.

Na última eleição municipal, o PN disputou vagas de vereadores em cinco capitais, além de ter concorrido à Prefeitura do Rio de Janeiro. O Partido elegeu vereadores em São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Rio de Janeiro, sendo o 6º partido com mais votos na legenda em três destas capitais e o 7º nas duas outras.

0

Vado diz que dívida deixada para Lula Cabral foi de 7 milhões e não de 59

Por meio de nota divulgada nesta sexta-feira (20), o ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Vado da Farmácia (sem partido), garante ter deixado uma dívida para o seu sucessor, Lula Cabral (PSB), no valor de R$ 7 milhões e não de R$ 59 milhões como se anunciou na véspera.

Veja a íntegra da nota:

I- Em respeito à sociedade cabense e para restabelecer a verdade dos fatos, queremos repudiar as denúncias do atual prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral, de que deixamos “um rombo” de R$ 59,8 milhões na Prefeitura Municipal e o município mergulhado no caos.

II- Na verdade, ficaram R$ 17 milhões em dívidas com os empenhos prontos para pagar, mas deixamos também um saldo positivo de R$ 23 milhões na conta municipal para saldar esses débitos. Os demais valores a que se refere o prefeito dizem respeito a serviços ainda não recebidos pela Prefeitura e que por isso não tiveram os pagamentos processados até dezembro. III- Destacamos ainda que R$ 16 milhões desse total divulgado se referem a dívidas contraídas pelo próprio Lula Cabral na sua gestão anterior.

III- O atual prefeito parece ter memória curta, pois não lembra que, ao sair da Prefeitura em 2012, deixou nada menos que R$ 97 milhões em dívidas e restos a pagar. Desafiamos a atual gestão para que apresente os contratos de todas as dívidas que ele alega terem vencido.

IV- Nós recebemos a Prefeitura das mãos de Lula Cabral, em 2013, com uma participação de 6,3% na receita do ICMS. Agora, entregamos a Prefeitura com uma participação bem superior, 7,9%. Só esse acréscimo representa quatro vezes o ICMS recebido pelo vizinho município de Escada.

V- A nossa gestão também deixou um saldo de mais de R$ 70 milhões referentes a recursos repassados pelo antigo FUNDEF, os quais foram bloqueados pela Justiça no final do ano passado a Pedido do Sindicato Municipal dos Professores e do Ministério Público (MPPE). É fundamental que a aplicação desse dinheiro, tão logo liberado, seja bem fiscalizada pela sociedade para se evitar desvios de finalidade.

VI- Como mentira tem pernas curtas, esclarecemos que o desconto de R$ 1,687 milhão do FPM para pagamento do INSS foi feito em cumprimento a um acordo firmado também pelo próprio Lula Cabral na gestão anterior. Sobre o referido bloqueio judicial de R$ 4,6 milhões da cota do FPM feito em dezembro último, ele não ocorreu a pedido de nenhum sindicato. Na verdade, foram bloqueados pela juíza Silvia Maria R$ 5.411.184,23, no dia 23 de dezembro último, atendendo a uma ação impetrada pelo atual secretário de Gestão Pública, Luiz Lima, sob orientação do próprio Lula Cabral, que tenta jogar para a plateia e confundir a opinião pública.

VII- Sem qualquer embasamento técnico que justifique o ato, o prefeito decretou estado de calamidade pública em algumas áreas da administração, com o intuito exclusivo de contratar serviços e adquirir materiais sem licitação pública (como diz o artigo 6º do decreto Nº 1.529, de 19 de janeiro de 2017).

VIII- Uma dessas áreas é meio ambiente, quando existem disponíveis no Fundo Municipal de Meio Ambiente mais de R$ 1,5 milhão. Deixamos a educação em plenas condições de iniciar o ano letivo, pois reformamos 40 escolas, principalmente na zona rural, adquirimos mobiliário, kits completos para os alunos, com livros didáticos, cadernos, lápis e outros materiais. Problemas pontuais em qualquer setor da administração não justificam um decreto de calamidade.

VIII- Essa medida do atual gestor precisa ser acompanhada de perto pelo Tribunal de Contas (TCE), Ministério Público e pela bancada de oposição na Câmara de Vereadores, para que não haja desvios de recursos.

IX- Nós estamos absolutamente tranquilos quanto à nossa gestão, pois temos a consciência tranquila de que fizemos o melhor e tudo rigorosamente de acordo com a legislação. O próprio TCE classificou a nossa gestão, nos dois últimos anos, como uma das três mais transparentes entre todas as Prefeituras de Pernambuco. Vamos aguardar os próximos relatórios do TCE sobre a nossa gestão, que sempre foi devidamente fiscalizada pelos órgãos competentes, ao mesmo tempo em que esperamos que o Ministério Público também investigue se existe real necessidade para se decretar o estado de calamidade.

José Ivaldo Gomes (Vado)
Ex-Prefeito do Cabo de Santo Agostinho

0

Bolsonaro concorda com Antonio Campos e vê “muita coincidência” na morte de Teori

Poucas horas após o advogado Antonio Campos ter divulgado nota, no Recife, dizendo que muitos homens públicos brasileiros, entre os quais seu irmão, Eduardo Campos, “têm morrido de forma misteriosa em acidentes aéreos”, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) saiu-se com essa mesma tese na capital mineira.

“De 11 ministros, o acidente foi exatamente com ele, foi muita coincidência. Não é por acaso”, disse o capitão reformado do Exército, insinuando que o ministro pode ter sido vítima de atentado pelo fato de ser o relator no STF dos processos da Operação Lava Jato.

Segundo ele, o ex-deputado Luiz Eduardo Magalhães (PFL-BA) também teve uma morte misteriosa, assim como o ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT).

Além disso, acrescentou, “temos muitas suspeitas sobre a renúncia do ministro Joaquim Barbosa do Supremo. E no ano retrasado Eduardo Campos morreu em uma aeronave nova. Essa aeronave do Zavascki possui duas hélices, difícil de acontecer um acidente”, disse Bolsonaro.

0

Lula e Dilma rendem-se à “isenção” do ministro Teori Zavascki

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff lamentaram por meio de notas a morte do ministro Teori Zavascki, reconhecendo o papel de absoluta imparcialidade que ele teve, até à morte, como relator dos processos de Lava Jato no Supremo Tribunal Federal.
Lula foi mais sucinto que sua antecessora em sua nota de pesar. “O Brasil perdeu hoje um cidadão que honrou a magistratura em todos os postos que ocupou. Minha solidariedade à família do ministro Teori Zavascki e aos membros do STF”, diz a seca e protocolar nota do ex-presidente.

Já Dilma procurou tirar proveito, e não poderia ser de outra forma, do fato de ter sido ela quem nomeou Teori Zavascki para o Supremo Tribunal Federal, tirando-o do STJ onde desfrutava de ótimo conceito.

“É com imenso pesar que recebo a notícia da trágica morte do ministro Teori Zavascki. Hoje perdemos um grande brasileiro”, diz a nota da ex-presidente.

Acrescenta que “ele desempenhou esta função com destemor, como um homem sério e íntegro” e que, “como juiz e cidadão, se consagrou como um intelectual do Direito, zeloso das leis e da Justiça”.

E conclui: “Tive o privilégio de indicá-lo para ministro do Supremo Tribunal Federal, com ampla aprovação do Senado”.

A bancada do PT no Senado, liderada pelo pernambucano Humberto Costa, também lamentou a morte do ministro.

“Teori Zavascki foi nomeado pela presidente Dilma Rousseff pelo trabalho desenvolvido junto ao Superior Tribunal de Justiça, entre 2003 a 2012. Atual relator dos processos da Operação Lava Jato, desde março de 2015, o ministro Teori Zavascki desempenhou suas funções de forma isenta e independente à frente das instituições”, diz a nota dos petistas.

0

Cresce a torcida no país pela nomeação de Moro para o lugar de Teori

Antes mesmo do sepultamento do ministro Teori Zavascki, que deverá ocorrer em Porto Alegre, neste final de semana, cresceram os movimentos pelo país em defesa da nomeação do juiz Sérgio Moro, pelo presidente Michel Temer, para a vaga que se abriu no Supremo Tribunal Federal.

Quem primeiro defendeu essa bandeira foi o presidente do TCE-MT, conselheiro Antonio Joaquim, antecessor do pernambucano Valdecir Pascoal (TCE-PE) na presidência da Atricon (Associação dos Membros dos Tribunais de Contas).

Segundo ele, a nomeação de Sérgio Moro “seria bem aceita pelo povo brasileiro e também pelos operadores do Direito”, representando a garantia de que a Operação Lava Jato não sofreria solução de continuidade.

Fazendo coro com Antonio Joaquim, o polêmico pastor Silas Malafaia (Assembleia de Deus) também se pronunciou publicamente em defesa da nomeação do juiz Sérgio Moro para o STF.

Segundo ele, “se o presidente Michel Temer quer honrar o exemplo de honestidade, deve nomear o Moro para o STF”. Aliás, após a morte do ministro, Sérgio Moro divulgou a seguinte nota lamentando o falecimento dele:

“Tive notícias do falecimento do ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki em acidente aéreo. Estou perplexo. Minhas condolências à família. O ministro Teori Zavascki foi um grande magistrado e um herói brasileiro. Exemplo para todos os juízes, promotores e advogados deste país. Sem ele, não teria havido a Operação Lava-Jato. Espero que seu legado, de serenidade, seriedade e firmeza na aplicação da lei, independente dos interesses envolvidos, ainda que poderosos, não seja esquecido”.

0

Próxima tarefa de Teori era homologar as delações da Odebrecht

Antes de morrer em acidente aéreo, na tarde da última quinta-feira, no litoral de Paraty (RJ), o ministro Teori Zavascki já tinha definido na cabeça o próximo passo da Operação Lava Jato que estava sob sua relatoria no STF: homologar os 77 depoimentos de delação premiada de ex-executivos

Valendo-se da sua condição de relator, o ministro poderia homologar as delações se entendesse que elas tinham consistência e estavam de acordo com Lei 12.850/2013 que normatizou esse tipo de colaboração.

Entre os depoimentos dos delatores, figura o do empresário Marcelo Odebrecht, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Marcelo teria dado os nomes de todos os políticos que receberam dinheiro de sua empreiteira, legalmente ou por meio de “caixa dois”, muitos dos quais do Estado de Pernambuco. Todos confirmam o recebimento do dinheiro, mas dizem que o fizeram de forma legal, isto é, com informações prestadas à Justiça Eleitoral.

A Odebrecht teria envolvido em suas delações cerca de 300 políticos de vários partidos, donde se conclui o seguinte: se fosse apenas uns 20 ou 30, seria fácil a cassação de todos. Se forem os 300 que se diz, é praticamente impossível.